S. Paulo/Luanda – O avião da TAAG – Linhas Aéreas de Angola – com o caixão da estudante Zulmira de Souza Borges, de 26 anos, já chegou a Luanda, e o corpo está sendo entregue à família para o enterro. Zulmira, estudante de mestrado em Engenharia na Uninove, foi morto a tiros por desconhecidos, no Brás, região central de S. Paulo, na noite da última terça-feira (22/05). O assassino, que estava acompanhado de um amigo, pouco antes havia xingado o grupo de angolanos de macacos. Angolanos residentes em S. Paulo e no Rio fizeram protesto pedindo Justiça.

O advogado Hédio Silva Jr., Diretor Acadêmico da Faculdade Zumbi dos Palmares, que atua pelo Consulado de Angola, acompanhou o traslado do corpo no Aeroporto de Cumbica, Guarulhos na tarde e início e da noite deste sábado (26/05). Ao ser atingida, Zulmira estava com os amigos Celina Bento Mendonça, de 34 anos, grávida de oito meses, Gaspar Armando Mateus, de 27, e Renovaldo Manoel Capenda, de 32, também feridos no ataque.

Celina, a mulher grávida de cerca de oito meses, levou dois tiros, um deles na barriga, e permanece internada no Hospital João XXIII, na Barra Funda. A criança, segundo as informações, não foi atingida. Gaspar e Renovaldo também foram baleados, porém, já receberam alta. O caso está registrado no 8º DP do Brás/Belém, como homicídio simples consumado e homicídio simples tentado. A Polícia não tem pistas do autor dos disparos. Veja a reportagem do Jornal Nacional de Angola.

Da Redacao