Amazonas – A seca no Amazonas – provocada segundo especialistas pelos desmatamentos que aumentaram nos três últimos anos – já provocou a morte de pelo menos seis crianças indígenas, vítimas de diarréia.
Os dados são da própria Fundação Nacional de Saúde (Funasa), que admitiu que todas as mortes estão relacionadas a escassez de água potável e a seca que se agravou a partir do mês de agosto.
Segundo a Funasa, o problema mais grave está ocorrendo entre os índios da nação Ticuna, que moram em aldeias da região do alto Solimões, onde os lagos secaram. A Funai (Fundação Nacional do Índio) confirmou mortes por diarréia também na aldeia Feijoal, em Benjamin Constant e em São Paulo de Olivença. Dos 83.966 que vivem no Amazonas, de acordo com a Funai, 35 mil estão no alto Solimões.
A Funai explicou que as mortes – especialmente de crianças – estão ocorrendo porque a água das cacimbas abertas pelos índios nas margens dos rios para beber está contaminada e o hipoclorito de sódio – solução para tornar a água potável – não chegou às aldeias.

Da Redacao