S. Paulo – Uma exposição itinerante de arte contemporânea, a explosão do teatro africano em um festival, um hub de inovação e tecnologia, um prêmio pioneiro de literatura infantil, uma revista descolada sobre o renascimento do continente, um museu de esculturas a céu aberto que faz um contraste entre savana e expressão artística? Ou humor e feminismo na literatura contemporânea do Senegal? O trabalho de arte digital de um jovem em busca de uma nova identidade para o cenário artístico de África? Estas são apenas algumas das pautas oferecidas pelo Afreaka.

O Afreaka apresenta um lado pouco conhecido da África, fugindo de estereótipos e cobrindo as expressões culturais africanas e afro-brasileiras. Com conteúdo inédito e pesquisa multidisciplinar in loco, trabalha como um site de jornalismo independente e design, produção cultural e educacional.

Homenageado pela Comissão Estadual da Verdade Rubens Paiva pela defesa do povo negro e selecionado para o Prêmio Empreendedor Sustentável, organizado pelo PapoReto, o coletivo Afreaka procura agora cada vez mais a educação como ferramenta de fomento e conscientização da importância do estudo da cultura negra brasileira e das diferentes culturas presentes em África. Neste sentido foi lançado o Curso de Formação em Comunicação Alternativa e Produção de Conteúdo em África Contemporânea.

Dividido em três encontros com três horas e meia de duração, o conteúdo aplicado propõe um debate que se opõe aos clichês tão conhecidos de todos e revela uma África moderna, descolada e que está em busca de um contato mais próximo com o Brasil.

Ao desconstruir a imagem estereótipo do continente, rompe-se um fluxo de informação negativa que permeia o conteúdo hoje disposto em parte das redes de ensino e das grandes mídias brasileiras. Para tal são apresentados inúmeros exemplos de protagonismo africano, usando sempre a cultura, inovação e educação como pontos de partida.

Estereótipos

Tema não menos importante é o debate entorno da mídia e seu papel no reforço de estereótipos que cercam o universo afro-brasileiro e o continente africano. Utilizando dinâmicas oriundas da comunicação para o desenvolvimento, os alunos são convidados para entrar em contato com o universo da mídia alternativa e da comunicação horizontal, pensando novas formas de abordagem, pautas, temas e pesquisas que discutam África e Diáspora. Durante o curso, cada aluno irá desenvolver com o acompanhamento dos professores, notas para internet, que serão publicadas no site Afreaka.

Confira o cronograma:

Dia 1: Formação em Cultura Africana e África Contemporânea

Os fundadores do Afreaka, a jornalista Flora Pereira da Silva e o designer Natan Aquino dividem com o público suas experiências durante a estadia em África, para que a partir disso os alunos entendam este outro lado da história, muito menos abordado: uma África proativa, inovadora, positiva e que, ao nos indicar muitos exemplos a serem seguidos, quebram uma linha pejorativa atribuída a cultura africana e afro-brasileira.

Exercício: Elaboração de Pautas

Dia 2: Mídia Alternativa e Comunicação para o Desenvolvimento

Aqui, será aberto um espaço para debate sobre os dois temas. Começando por entender o que é a Mídia Alternativa, pensando em como e onde se dá o processo de ruptura das versões tradicionais, vamos discutir onde encontrar os laboratórios de novas formas, qual a sua importância e qual é o seu papel no jornalismo contemporâneo. Para trazer o casodo Afreaka para dentro do tema, vamos então falar sobre o papel da Comunicação para o Desenvolvimento, uma abordagem que pensa em como se comunicar para o desenvolvimento social. Qual é o recorte dessa abordagem? Como ela acontece e como a trouxemos para o projeto?

Exercício: Escolha de Pauta para trabalhar a ideia de comunicação para o desenvolvimento no texto + produção de texto

Dia 3: África no texto e na prática

Como elaborar um texto de jornalismo para internet fugindo dos estereótipos e clichês? Vamos apresentar uma série de ferramentas necessárias para um texto bem sucedido. Tal como dicas de produção, entrevista, estrutura, escolha de pauta, apuração, compartilhamento de ideias, abordagem do tema, jornalismo de viagem, divulgação em mídias sociais, edição, escolha de fontes, relacionamento com o entrevistado, estilo de texto e por aí vai. Por fim, apresentaremos as ferramentas de comunicação. Ao decorrer dos encontros o intuito é casar o debate sobre ferramentas modernas com a necessidade de acabar de vez com o desconhecimento e indiferença sobre a cultura africana e afro-brasileira. Tudo isso permeado com algumas dinâmicas de Comunicação para o Desenvolvimento. Vamos brincar com algumas metodologias que aquecem a mente e o corpo e viabilizam a comunicação e integração do grupo.

Exercício: Aqui convidamos todos os participantes a colocarem a mão na massa e focar em suas produções textuais.

Almoço de confraternização (não incluso na turma de segunda-feira) 

O curso tem como objetivo afirmar ainda mais cultura de Mãe África deste lado do Atlântico. E um dos elementos que ressaltam este protagonismo e ligação com Brasil é certamente a gastronomia. Em parceria com a artista plástica Surama Caggiano, promovemos um almoço cultural com comidas típicas da cultura afro-brasileira. A ideia é aliar dois conhecimentos que alimentam mente e alma: comida e cultura. Durante o preparo e na hora da refeição, Surama explica em detalhes a origem de cada prato e a importância deles para o desenvolvimento de nossa cultura.

Para se inscrever:

CURSO 1: Oferecido pela Biblioteca Mário de Andrade e pelo Afreaka

Datas: 16, 23 e 30 de Março (segunda-feira)

Horário: 16h às 19h horas.

Local: Hemeroteca da Biblioteca Mário de Andrade

Rua Dr. Bráulio Gomes, 125/139 – Centro

Valor: Gratuito (almoço não incluso)

Inscrição: Para inscrição mande um e-mail para [email protected] com seu currículo, um texto de seu portfólio e uma breve carta de apresentação, explicando o porquê gostaria de fazer parte do curso e como a sua participação poderia colaborar com o Projeto Afreaka.

Seleção: A Seleção para as 20 vagas será feita por análise de currículo e texto. Dica? Disponibilidade, compromisso e interesse são os requisitos principais.

CURSO 2: Oferecido pelo Afreaka

Datas: 14, 21 e 28 de Março (sábados)

Horário: 9h30 às 12h30.

Local: Espaço Afreaka

Av. Professor Alfonso Bovero, Pompéia, São Paulo

Valor: 250,00 (almoço incluso)

Inscrição: Para inscrição mande um e-mail para [email protected] com seu nome e um telefone de contato.

Seleção: A Seleção para as 10 vagas será feita por ordem de inscrição e pagamento.

Contato: 

Site: www.afreaka.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/siteafreaka

Instagram: @siteafreaka

E-mail: [email protected]

 

Da Redação, com informações de Kauê Vieira, do Afreaka