Itapecerica – “Não tem vencidos, nem vencedores. A vitória foi do povo negro”. Esta foi a primeira declaração do jornalista Walmir Damasceno já como o primeiro presidente eleito do Conselho Municipal do Negro de Itapecerica da Serra, cidade da região metropolitana da Grande S. Paulo. Damasceno venceu por 11 votos a 10, o rapper Denis Rodrigues, do Movimento Brasil Afirmativo e presidente do H2MOR – Hip Hop Movimento Organizado de Rua – que ficou como vice-presidente, graças a um acordo feito anteriormente segundo o qual, quem tivesse menos votos na disputa seria o vice.
A eleição aconteceu na noite desta terça-feira na Câmara Municipal e o voto decisivo foi dado por Kátia Trindade, que substituiu a conselheira Meire Ellen Sateles Novaes, indicada pela Secretaria da Cultura, e que votara em Denis na primeira tentativa de eleição do presidente na semana passada.
A substituição proposta antes de começar a votação teve a concordância de Denis Rodrigues. Ele ponderou que, embora não houvesse regimento e ainda que a mudança significasse a alteração das regras depois de iniciado o jogo, defendia a entrada de Kátia Trindade pelo papel que a mesma teve na constituição do Conselho, transformado em Lei aprovada pela Câmara, por iniciativa do prefeito Jorge Costa (PMDB).
Papel do Conselho
O primeiro presidente do CONEGRO de Itapecerica é sacerdote do candomblé de tradição angola-kongo, e também preside a Federação Nacional da Tradição e Cultura Afro-Brasileira (FENATRAB). Ele também ocupa a direção executiva da Ordem das Entidades Afro-Brasileiras (OEAB) e é representante para a América do Sul e Caribe do Centro Internacional das Civilizações Bantu.
Uma das primeiras iniciativas do Conselho, segundo Damasceno, será uma reunião com o Poder Público para reivindicar a cessão de um espaço para a administração do órgão. “Precisamos ter visibilidade para que possamos exigir a implementação de políticas públicas para a população negra. Nós vamos sentar com o Poder Executivo e o Legislativo em busca de estrutura para o Conselho”, afirmou.
O jornalista disse que não aceitará, na sua gestão, qualquer influência externa partidária. “O projeto do CONEGRO é muito maior e está voltado à toda a população negra de Itapecerica, independente de partidos”, afirmou.
O rapper Denis Rodrigues disse que não se sentiu derrotado e acrescentou que o fato de não ter se oposto, ao contrário até ter defendido a presença de Kátia Trindade no Conselho para votar na eleição, já sabendo que seu voto não seria dele, demonstra que não disputava o poder para si quando se apresentou como candidato à presidência.
Como vice-presidente, Rodrigues disse que atuará em total sintonia com o novo presidente e com os demais membros da direção do Conselho que serão escolhidos em comum acordo. “O importante é que quem saiu ganhando foi a população negra da cidade, que terá um CONEGRO atuante e ativo”, concluiu.

Da Redacao