Há muita confusão nesta história. Os interessados em desconstruir o Joaquim Barbosa estão sendo muito bem sucedidos, infelizmente.

A primeira vitória é que, seja ou não seja o Joaquim o crápula sórdido que dizem que ele é, as pessoas não se tocam mais para o fato de que isto tudo é sim uma suja campanha de difamação oriunda de grupos do PT insatisfeitos com a condenação dos mensaleiros.

É fácil identificar dezenas de blogues e sites petistas voltados para a difusão destas supostas denúncias. Querem melar o jogo. Deixar tudo sujo como o pau de galinheiro em que se aboletaram.

O difícil mesmo é descobrir as fontes destas informações que se valem de invasão de privacidade e qualquer outro expediente ilícito para levantar suspeitas sobre Joaquim.

Sobre as colocações da entrevista, outras incompreensões se instalam, no embalo da rede de difamação. A primeira é sobre o racismo denunciado por ele. 

Não é exatamente verdade, como dizem alguns brancos por aí, tentando desqualificar denúncias de racismo, que o Brasil já tenha tido presidentes negros. Os cinco citados não eram visivelmente negros, eram descendentes de negros apenas supostos, tanto quanto a maioria dos brancos do Brasil são.

Negros mesmo jamais – ou nem tão cedo – serão presidentes no Brasil.

Não acho também que ele, Joaquim, tenha que se acostumar em ter a sua vida devassada. Ninguém deve se acostumar a isto. O único "erro" que ele cometeu, afinal, foi relatar e comandar, com independência e transparência um julgamento junto com outros 11 ou 12 juízes, um julgamento inédito onde gente super poderosa foi condenada.

Outra questão importante é que Joaquim jamais se declarou candidato, sendo esta hipótese – que apavora seus detratores – mera especulação lançada pela imprensa baseada no grande prestígio moral que ele adquiriu por conta da firmeza demonstrada durante o julgamento.

O Brasil se apequena mais e mais, cada vez que campanhas como esta vão ganhando adeptos e vamos deixando de acreditar na ética dos homens.

Que ninguém preste! Que o reinado dos crápulas impunes prevaleça! Brasil sujo e imoral é o padrão que estes canalhas difamadores querem que nos defina como nação.

O Brasil nestas horas fede tanto a podre que dá vontade de larga-lo de mão. Depois não querem que a garotada saia quebrando tudo por aí.

Spírito Santo