Nova York/EUA – O Dia 18 de julho passa a ser a partir do ano que vem o Dia Internacional Nelson Mandela. A data corresponde ao dia em que nasceu o ex-presidente sul-africano e maior líder negro vivo no mundo e Prêmio Nobel da Paz, ícone na luta contra o regime do apartheid (foto).
“Nelson Mandela é um ícone internacional e um exemplo de esperança para todos os oprimidos e marginalizados em todo o mundo”, declarou o embaixador da África do Sul ante a ONU, Baso Sangqu.
A Resolução o tem como objetivo recompensar Mandela por toda sua vida dedicada a causas defendidas pela ONU, como resoluções dos conflitos, as relações inter-raciais, a promoção dos direitos humanos, a reconciliação e a igualdade dos sexos.
Dia Internacional do Ativismo
Um comunicado divulgado em Johannesburgo pela Fundação Nelson Mandela, declarou que com a decisão da ONU por unanimidade o dia do aniversário de Mandela passa a ser o “Dia Internacional do ativismo”.
“O Dia de Mandela é um dia internacional de ação humanitária para celebrar a vida de Mandela e a sua herança. Deve servir de catalisador para que todas e cada uma das pessoas compreendam que elas têm a capacidade de mudar o mundo com sua ação”, afirma a nota.
“Esta em nossas mãos criar um mundo melhor”, afirma a Fundação, ao citar Mandela, enquanto agradece ao governo da África do Sul seus esforços para tornar possível esta resolução internacional.
Mandela, diz a nota, “passou 67 anos de sua vida se dedicando ativamente a promover e conseguir a mudança social” e, por isso, a fundação pede que, no Dia de Mandela, “as pessoas dediquem simbolicamente pelo menos 67 minutos de seu tempo para servir suas comunidades em qualquer coisa que quiserem”.

Da Redacao