Salvador – Com a produção paralisada em São Paulo desde que o empresário e cantor José de Paula Neto, o Netinho, demitiu os últimos profissionais em dezembro do ano passado, a TV da Gente – lançada em novembro de 2.005 como a TV dirigida à população negra e à diversidade étnica – virou uma incógnita também em Salvador, na Bahia, para onde o empresário anunciou a transferência da central de produção e de todas as operações.
Embora lançada em sessão solene da Câmara de Salvador, a TV, que, na Bahia, deveria ser sintonizada no canal 57 UHF, é ainda uma realidade distante dos baianos. Na tarde desta quinta-feira (26/07), enquanto Netinho tentava desmentir a falência do projeto para a repórter Geórgia Nicolau, do Jornal da Tarde de São Paulo, na Bahia, quem ligou o canal 57 deu de cara com uma certa TV Altiora, que seria pertencente a um grupo de empresários do interior de S. Paulo.
Procurado pela Afropress, por meio de sua assessoria de imprensa, Netinho não retornou. À repórter do JT, entretanto, fez declarações ufanistas quanto ao futuro da TV. “Está no ar firme e forte”. A TV pelas palavras do próprio Netinho mantém no momento apenas 20 funcionários, o que corresponde a menos de 10% do total de funcionários na época do lançamento, em novembro de 2.005.
Desencontros
As declarações do empresário aconteceram um dia depois da produtora Rita Vieira, da RV produções dizer a Folha de S. Paulo, que a TV estava no “limbo” e que não fora procurada por Netinho para renovar o contrato terminado em junho.
Rita, que é mulher de Jorge Portugal, comunicador negro muito popular na Bahia, responsável pelo programa “Aprovado!”, transmitido pela TV Bahia, afiliada da Globo, disse à Afropress ter sido “mal interpretada” e que a fase de produção da grade de novos programas está em pleno andamento. Garantiu que a TV entrará no ar a partir de setembro e chegou a adiantar alguns programas da grade, entre os quais, um ligado a Educação – “Tô sabendo”, sob a direção do cineasta Lázaro Farias, da Axé Filmes – e outro voltado à questão racial, sob a direção do ativista e professor de Comunicação Fernando Conceição. “Estamos na fase de pré-produção. Os pilotos estão praticamente prontos. Devemos entrar no ar a partir de setembro”, afirmou, sem precisar a data, “porque isso ainda depende de definições de Netinho”.
Afastamento
A jornalista Conceição Lourenço, vice-presidente da TV da Gente, por sua vez, disse que a produção não foi iniciada ainda, por causa de problemas financeiros. “O ideal é que tenha uma programação lá”, acrescentou, aproveitando para avisar que, embora continue amiga de Netinho, está afastada do projeto. “Estou afastada, tocando os meus projetos. Pelo menos até que haja um redimensionamento de rumos aqui em S. Paulo”, afirmou.
E quando, afinal, a TV entrará no ar? “Não estou à frente do projeto. Não tenho como responder a essas coisas?”, esquivou-se. E os recursos que teriam vindo de empresários e do próprio Governo de Angola para a TV? “Ah, isso é só com o próprio Neto”, responde Conceição.
Em S. Paulo, o diretor da programação, Gil Latoreira, que desde o ano passado repete os programas velhos por meio o canal 300 da TVA, disse, citando o que ouviu de Netinho, que a programação deverá voltar ao ar, em outubro.
O ocaso da TV da Gente começou em fevereiro de 2.006, quando, três meses após o lançamento, Netinho fez as primeiras demissões de profissionais, alegando falta de recursos e desacordos com o empresário deputado Celso Russomano, de quem alugou as instalações no bairro da Casa Verde. Na época, transmitia com sinal cedido pela Rede Bandeirantes de Televisão.
Alguns meses depois foram feitos mais dois grandes cortes de profissionais, com a redução drástica da equipe formada inicialmente por cerca de 200 pessoas, até que, em dezembro do ano passado, foram demitidos os titulares dos últimos programas, como os jornalistas Adyel Silva, Cláudia Alexandre e Wagner Prado.

Da Redacao