Sertãozinho/SP – Os vereadores de Sertãozinho, cidade da região nordeste de 118 mil habitantes, situada a 356 Km da capital, acabam de demonstrar até onde a ignorância pode chegar: baixaram um decreto criando o Dia da Consciência Branca – o 21 de novembro – em contraposição ao Dia Nacional da Consciência Negra, que é celebrado na véspera.

O decreto assinado pelo presidente, vereador Rogério Magrini dos Santos (PTB), conhecido na cidade como “Zezinho Atrapalhado”, transforma o “Dia da Consciência Branca” em ponto facultativo. “Quando eu quis fazer o decreto pelo Dia da Consciência Negra, os vereadores foram contra e começaram a me cobrar: “e a Consciência Branca?”. Achei que seria uma boa idéia, fui lá e fiz”, conta “Zezinho Atrapalhado” fazendo justiça ao apelido.

Atrapalhado alega ainda outra razão para o decreto: seria uma homenagem a um primo que se diz vítima de preconceito por ser branco.

“Tenho um primo que chamam de maisena, de tão branco que ele é, e ele mesmo me cobrou: se tem pelos negros também deveria existir dos brancos porque existe preconceito contra branco também”, acrescenta, levando ao limite a ignorância do porquê se celebra Dia Nacional da Consciência Negra – dedicado à memória de Zumbi dos Palmares – o maior líder da resistência negra à escravidão no período colonial, e herói nacional com nome inscrito no Panteão da Pátria, em Brasília.

Da Redacao