Brasília – As sessões da Audiência Pública, convocadas pelo STF para discutir a questão das cotas, estão trazendo uma realidade que o Brasil desconhece. Essa é a opiniião do presidente do Conselho Estadual dos Direitos do Negro (CEDINE), do Rio, Paulo Roberto dos Santos, Paulão, que está acompanhando os debates.
Segundo Paulão, a falta de argumentos dos “contra” as cotas e ações afirmativas tem ficado evidente, a cada sessão, à ponto de, ao invés de argumentos lógicos, estarem caindo no desespero e na raiva que “revela a contrariedade por nos verem ocupando o espaço a que temos direito a ocupar na História”.
“Saio daqui levando para o Rio de Janeiro um depoimento de vitória das forças progressistas do Brasil”, acrescentou Paulão, destacando que a maioria dos depoimentos favoráveis vieram precisamente de não negros. Ele destacou, nesse sentido, a participação do advogado, Oscar Vilhena, que defendeu as ações afirmativas e as cotas. “Saio daqui com a sensação de vitória”, finalizou.

Da Redacao