S. Paulo – Numa manifestação relâmpago, ativistas da ONG Educafro, invadiram neste domingo (15/05) por volta das 12h, as Lojas Americanas, na Rua Direita, centro de S. Paulo, para protestar pela violência sofrida pelo vigilante Márcio Antonio de Souza, torturado por seguranças no final do mês passado, numa loja em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, tomado por suspeito do furto de dois ovos de Páscoa, comprados em outra loja pelos quais garante haver pago.
Mais de 25 carros e motos da PM foram acionados, após militantes conseguirem ocupar a loja, depois de promoverem um abraço simbólico no prédio do Tribunal de Justiça de S. Paulo. Os responsáveis pela loja retiraram os ocupantes e as portas de acesso foram baixadas.
Este é o terceiro ato contra a empresa. Segundo Frei David Raimundo dos Santos, diretor executivo da Educafro, mais de 2 mil pessoas participaram do abraço ao prédio do Tribunal e do protesto nas Americanas. Pelo microfone o Frei avisou ao gerente que, enquanto os responsáveis pela loja não se dispuserem ao diálogo, os atos relâmpagos de protesto se repetirão.
Lembrando o caso
O vigilante Márcio Antonio de Souza foi tomado por suspeito do furto de dois ovos de Páscoa, no último dia 23 de abril, levado para um quartinho e espancado barbaramente pelo segurança Décio Garcia de Souza, das Lojas Americanas, de Campo Grande, Mato Grosso do Sul.
Em consequência das agressões, o vigilante – que ainda não foi operado – teve o nariz fraturado em três partes e com o olho e o ouvido esquerdos comprometidos.
Ontem, sábado (14/05), entidades sindicais, estudantes e amigos do vigilante promoveram ato de protesto pedindo Justiça em frente à loja, em Campo Grande.

Da Redacao