Se Deus e todos os Orixás permitirem o filho do Piquet e o sobrinho do Ayrton estarão chegando para buscar o seu lugar ao sol. (Enquanto isso, logicamente, o Rubinho continuará chegando em sétimo e a Globo continuará dizendo que ele fez excelente corrida, mas deixa pra lá.)
Quero falar mesmo é do Lewis Hamilton. Este piloto inglês é o atual líder da GP2 (acesso à F1) e é considerado pelos especialistas um fora de série. Ele tem vindo bem na atual temporada e já caiu nas graças dos grandões da F1 que o querem da McLaren no próximo ano, provavelmente no lugar do azarado Kimi Raikonen. Será uma boa nova, sem dúvida. Lewis será o primeiro piloto negro da F1, mas tal como as mulheres e os asiáticos, na hora em que vestir o uniforme e puser o capacete pouco importará sua origem étnica, todos quererão saber se, de fato, temos um grande piloto ou apenas mais um balão de ensaio, tipo o Massa (Massinha para os globais).
Pois bem, que venham Lewis, Piquet, Senna, a somar-se com Rosberg (parece sessão nostalgia) e, quem sabe, a F1 volte aos encantos de outrora.
Nota da Redação:Texto originalmente postado no Blog Palavra Sinistra do colunista da Afropress, Márcio Alexandre.