Osasco/SP – Mesmo tendo garantido, em Nota à Imprensa, a disposição de colaborar com as investigações, o Carrefour encaminhou a delegada Rosângela Máximo da Silva, os nomes de apenas dois dos cinco seguranças que teriam dirigido a sessão de espancamentos ao funcionário da USP, Januário Alves de Santana. Marcelo de Sá e Luiz Carlos dos Santos, foram apontados pela empresa como os seguranças de serviço na data.
Santana confirmou, em depoimento no Inquérito Policial que, pelo menos cinco homens o espancaram por mais de 20 minutos na salinha à entrada da loja, querendo que confessasse o roubo do seu próprio carro.
A empresa também informou a Polícia que o funcionário Mário Lucio Soares Moreira Gomes, presente na loja por ocasião dos fatos, era o encarregado de fazer o levantamento e identificar os seguranças envolvidos na agressão.
Gomes aparece no Relatório feito pelos PMs que atenderam a ocorrência corroborando a versão oficial da PM de briga entre clientes. “O tumulto dentro da loja começou devido os clientes avistarem a arma do segurança do Carrefour que corria para apoiar os demais seguranças que tentavam apaziguar uma briga entre clientes”, declarou.
O Carrefour também entregou a Polícia um DVD com as imagens captadas pelo circuito interno de TV, que já está sendo periciadas pelo Instituto de Criminalística. O prazo, em média, é de 30 dias.

Da Redacao