Santos – A Associação dos Afrodescendentes da Baixada Santista (Afrosan) com apoio da Afropress (Agência Afroétnica de Notícias) lança nesta sexta-feira (19/03), o Disque Racismo da Baixada Santista, que pretende oferecer a população uma linha telefônica aberta à denúncias de discriminação racial e orientação sobre as providências a serem adotadas no plano jurídico.
“Não se trata de um plantão jurídico, mas de orientação básica para que as pessoas que sofrem discriminação, humilhações e constrangimentos no seu dia a dia e não sabem o que fazer, reajam, buscando os seus direitos”, afirmou o presidente da entidade, José Ricardo dos Santos (foto).
O ato que marcará o início do serviço, que ele considera de utilidade pública, está marcado para esta sexta-feira (19/03), às 10h, na sede da entidade, à Rua Prudente de Moraes, 75, sala 25, Vila Mathias.
Proposta
José Ricardo disse que a idéia do Disque Racismo da entidade surgiu a partir do episódio envolvendo a dona de casa Edna Alves do Carmo, que sofreu constrangimentos na loja da Rede de Supermercados Extra, na Avenida Ana Costa, depois de apontada como suspeita pelos seguranças, do furto de uma caixa de biscoitos Bis que já havia pago.
O Disque Racismo poderá ser acessado por meio do telefone (13) 3326-2269, de segunda a sexta-feira, das 10h às 17h ou por meio do e-mail [email protected]
Segundo o presidente da entidade, além da abertura de um canal de denúncia permanente, a Afrosan dará orientação sobre as providências a serem adotadas pelas vítimas nos casos de racismo.
Dia Internacional de Luta
A instalação do Disque Racismo marca em Santos a passagem do 21 de março – Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial – criado pela ONU, em 1.960, como forma de lembrar e homenagear as 69 pessoas negras mortas no massacre de Sharpeville, na África do Sul, sob o regime do apartheid.

Da Redacao