Rio – Será nesta quinta-feira, 28/12, às 13h, o ato ecumênico de protesto pelo assassinato do jornaleiro Jonas Eduardo Santos de Souza, 34 anos. Souza foi fuzilado na última sexta-feira 22/12, na porta da agência do Itaú da Avenida Rio Branco com Nilo Peçanha, centro do Rio, depois de ser barrado na porta giratória.
O assassino, o segurança Natalício de Souza Marins, também negro, tem fama de truculento segundo testemunhas, porém, está livre e aguardará julgamento em liberdade.
O ato desta quinta-feira foi convocado por iniciativa do advogado Humberto Adami, presidente do Instituto de Advocacia Racial e Ambiental, do Rio. Adami disse que a Federação Nacional de Advogados, o Centro de Apoio a Populações Marginalizadas e o Espaço Memória Lélia Gonzalez já confirmaram a presença de representantes.
Também estarão no ato a deputada estadual Jurema Batista (PT-RJ) e o deputado federal Edson Santos, o mais votado da bancada do PT carioca.
O assassinato do jornaleiro carioca na porta de uma agência bancária por um segurança da instituição acontece no momento em que a Febraban discute com entidades do Movimento Negra e com o Ministério Público Federal do Trabalho, a implementação de um Mapa da Diversidade. O Mapa é uma proposta para começar a enfrentar a situação de discriminação e exclusão da população negra no setor bancário.

Da Redacao