Salvador/BA – Entidades como o Olodum, Malê Balê, Os Negões, Muzenza, Cortejo Afro, Okambi, Afoxé Filhos do Congo, Ilê Ayê, Unegro, Coletivo de Entidades Negras e Movimento Negro Unificado, promovem nesta quinta-feira (30/09), a Caminhada pela Igualdade.
A Caminhada, que começa com uma concentração a partir das 16h no Campo Grande, será aberta por religiosos de matriz africana, além das várias representações do Movimento Negro baiano, contará com a presença de representantes políticos. Durante a concentração também estão programadas manifestações artísticas.
Para simbolizar a resistência durante a manifestação serão lembrados os 212 anos da Revolta dos Búzios, que aconteceu em 1.798. “Apesar de ser uma história passada e vivida na Bahia, é assunto nacional. A Revolta dos Búzios é a base dos direitos humanos no Brasil. Foi a primeira vez que se escreveu um documento que se falava de oportunidades iguais no país”, explica o presidente do Bloco Afro Olodum, João Jorge Santos Rodrigues.
Segundo João Jorge, depois de mais de 300 anos de escravidão no Brasil, o negro ainda precisa de reparação social. “A nossa luta é por igualdade em todas as diversidades que existem no país, na Bahia. Por melhores escolas, por atendimento à saúde, por empregos, por respeito. E nesse caminho o movimento reconhece que já aconteceram consideráveis mudanças”, finalizou.

Da Redacao