Brasília – Entidades como a Unegro, Conen e sindicatos vinculados à CUT, organizações da base de apoio ao Governo Lula, promovem nesta terça-feira, 22/11, ato na Esplanada dos Ministérios em Brasília, em defesa de reivindicações da população negra do país.
O ato se contrapõe a Marcha Zumbi + 10 realizada quarta-feira passada, 16/11, por lideranças e entidades que defendem autonomia e a independência do Movimento Negro em relação ao Governo e a Partidos. Uma Comissão representativa da Marcha se reuniu por mais de duas horas com os ministros Márcio Tomás Bastos, da Justiça, Matilde Ribeiro, da Seppir, e Luiz Dulci, secretário geral da Presidência, e com o próprio Presidente Lula, que prometeu estudar as revindicações.
Para o ato de hoje, o PT por intermédio de resolução do Diretório Nacional determinou que seus militantes, parlamentares, lideranças dos diretórios e ocupantes de cargos nos Governos estaduais e municipais “contribuíssem” para a sua realização.
Para o Secretário de Justiça e Defesa da Cidadania de S. Paulo, Hédio Silva Jr., o ato desta terça-feira, “é uma contra-marcha” protagonizada pelos setores empenhados em dividir e fraccionar o Movimento Negro brasileiro”.
O ato que deverá durar todo o dia deverá ser encerrado também com o recebimento de uma comissão por ministros no Palácio do Planalto. Não se sabe se Lula receberá as reivindicações, que são idênticas as entregues no documento-manifesto entregue ao Presidente na semana passada.

Da Redacao