QUEENS/New York/EUA – Um pouco depois da queda da famosa bola a meia noite do dia 31 na praça mais reconhecida do planeta, a Times Square, Eric Adams jurou solenemente cumprir a Constituição do Estado e o estatuto da cidade e tomou posse como prefeito de Nova York.

Numa cerimônia bastante simples tendo como pano de fundo a multidão que compareceu para os festejos da passagem do ano, o novo prefeito da cidade assume o posto em meio a várias crises.

A mais urgente delas, a variante omicrôm segue infectando os novairoquinos sem trégua. Segundo informações oficiais, mais de 40 mil novos casos aconteceram nos últimos sete dias do ano passado.

O novo prefeito tem ainda pela frente o espinhoso problema da violência que aumentou substancialmente desde o início da pandemia em março de 2020, além, claro, da crise econômica.

Nova York tem atualmente um índice de desemprego de 9.4% da sua força  ativa, o dobro da média nacional.

Eric Adams terá ainda que enfrentar o grave problema social dos desabrigados, que acaba por impactar negativamente no movimento de turistas.

Adams fez uma campanha  para conquistar a prefeitura com uma mensagem de segurança. Desde o início, ele foi contra a retórica de alguns de seus oponentes em abolir o Departamente de Polícia, a palavra de ordem defendida pelos seus apoiadores do movimento “Black Lives Matters”.

Com a experiência de ex-policial conseguiu convencer aqueles eleitores que mais sofrem com a violência urbana que era o candidato indicado e mais qualificado para enfrentar o grave problema da segurança pública.

Adams também teve a sabedoria de cancelar a posse, inicialmente prevista para acontecer no famoso teatro “King” no bairro do Brooklyn.

O local escolhido era para homenagear os eleitores locais fora de Manhattan. O atual prefeito cresceu no bairro do Queens. Sua mãe era faxineira e criou seis filhos. Quando adolescente teve uma experiência bastante negativa com a polícia da cidade.

Segundo ele, por causa desse encontro resolveu entrar para a corporação da cidade. Durante mais de 20 anos exerceu a função de policial chegando a capitão da polícia.

Politicamente falando, Adams é um enigma. Já esteve filiado ao Partido Republicano, agora está no Partido Democrata, ele se considera mais uma pessoa com posição de centro-esquerda do que o ex-prefeito Bill De Blasio.

Blasio se declarava abertamente um socialista e durante suas coletivas sempre citava o filósofo alemão Karl Marx.

Uma de suas prioridades é manter todas as escolas públicas abertas apesar do alto índice de contágio da variante omicrôm. Para ele, bem como para o novo secretário de Educação, David Banks, é imprescindível que as escolas estejam abertas para receberem os alunos.

Por causa dos altos índices de contágio da pandemia várias empresas privadas adiaram o retorno de seus funcionários.

Adams, contudo acha que Nova York não pode fechar novamente. Ele descartou qualquer novo “lockdown”. A cidade, segundo suas palavras terá que aprender a conviver com o Covid-19.

Na última quinta-feira (23/12) ele afirmou que manterá a obrigatoriedade de vacinação dos funcionários do setor privado e do setor público.

Quanto as mudanças na Prefeitura, Adams disse que manterá alguns funcionários nomeados por Bil de Blasio. Um ponto importante em relação ao ex-prefeito, é que Adams pretende continuar com os programas especiais oferecidos pelo ensino médio local conhecidos como “Gifted & Talented” (Dotado e Talentoso – trad. Livre). O programa foi abolido por Bil de Blasio em 2020 sob  uma chuva de criticas de país com filhos nas escolas públicas.

Eric Adams buscou também estabelecer uma boa relação com a governadora Kathy Hochul, que posou para fotos ao seu lado logo após ele ser declarado o vencedor em novembro.

Diferentemente dos dois antecessores, o ex- prefeito Bill de Blasio e o ex-governador Andrew Cuomo que não se bicavam politicamente, consideram positiva uma aliança política entre Adams e Hochul, na medida em que isso é bom para ambos.

Na cerimônia da posse, Eric Adams mostrava-se bastante espirituoso e otimista. Uma palavra bastante usada em seu vocabulário ao se referir a NYC é “Swagger”(atrevido, auto confiante) sobre a recuperação da cidade no seu primeiro discurso como prefeito.

Citou dois antecessores: David N. Dinkins, o primeiro prefeito negro, que se referiu a diversidade local como “um deslumbrante mosaico”, e Edward I. Koch, que prometeu que NY iria se recuperar depois da crise financeira dos anos 1970.

Adams também citou uma frase do dono da bebida “Snapple”: “Nova York vai ganhar porque somos feitos das melhores coisas da terra”. (NYT)

Edson Cadette escreve como colaborador voluntário para Afropress desde 2.006