ANOTE E CONFIRA
INDEPENDÊNCIA ANGOLANA
Digno de elogios o discurso pronunciado pelo Embaixador Ismael Diogo da Silva, Cônsul-Geral da República de Angola no Rio de Janeiro, com a objetividade de início meio e fim sobre a luta pelo desenvolvimento do país irmão, durante a solenidade de 30º. Aniversário da Independência Angolana, realizada no Iate Clube do Rio de Janeiro no último dia 10.
GRATIFICADO
O colunista agradece o convite e gratificado com sua posse como membro do Conselho de Assuntos Estratégicos e Políticos da nossa TV DA GENTE, emissora de TV que entra no AR no Dia da Consciência Negra que se comemora no próximo dia 20, que será sintonizada em São Paulo no canal 50 em tv aberta, para o resto do país via Satélite e na grande Fortaleza no canal 19
CONSELHO MUNICIPAL
A Câmara Municipal aprovou e o prefeito da paulista São Carlos sancionou a Lei que cria o Conselho Municipal da Comunidade Negra da cidade, cuja posse deverá ocorrer em breve, cujo mérito cabe a sociedade civil organizada e a Seção de Combate ao Racismo daquela municipalidade, dirigida pela advogada Keila Maria Cândido.
Para os leitores desta coluna ANOTE E CONFIRA, um pouco mais de fatos, relatos, frases e pensamentos que estão nas páginas de Política & Comunidade Negra.
“Eminência Parda não é nenhum Cardeal negro”.
Jô Soares, esclarecendo o sentido das palavras a alguns candidatos a Presidência da República que se confundem e tropeçam no vernáculo durante o horário político – 10/1989
“Enquanto vocês não se conscientizarem que devem valorizar os quadros sérios e inteligentes da comunidade negra, além de usar o voto como instrumento de pressão para mudar a história deste país ficarão sempre na rabeira da história política.” Orestes Quércia, vice-governador de São Paulo – 5/1986
“Melhor que uma boa piada é você ouvir que o “Fuscão Preto”, ex-prefeito de Uberaba, tem nojo de traidores. Eu que o diga”. Newton Cardoso, ex-prefeito de Contagem e ex-governador de Minas Gerais.
“Toda pessoa racista é racista. E ponto final”.
Glória Maria, apresentadora do “Fantástico”.
INFANTES COMPANHEIROS
Tem muito ser humano que não mede conseqüências para obter espaço junto a quem está no Poder e pretendendo se valorizar junto aos incautos, mente com a maior cara de pau, dizendo para seus amigos e associados da sua entidade social que é companheiro de infância de Celso Roberto Pitta do Nascimento, Secretário de Finanças da Prefeitura do Município de São Paulo desde a escola primária, secundária ou universitária, quando na realidade na época de bancos escolares do hoje administrador público, o cidadão encontrava-se preocupado em praticar suas infrações penais, uma das quais lhe obsequiou com uma condenação pela Justiça Criminal.
A maioria das pessoas de um determinado círculo da comunidade negra paulista, exceção feita aos que no meio universitário realizam trabalhos ou estudos profissionais visando à graduação ou o doutoramento, vieram a conhecer Celso Pitta pessoalmente na residência do empresário e ex-deputado federal Adalberto Camargo, em São Paulo, durante a recepção que o parlamentar ofereceu ao Secretário do Comércio dos Estados Unidos, Ronald Brown, em 1994 e o boquirroto que não vale a pena ter seu nome citado nesta revista, lá se encontrava presente e calado, pois não consegue concluir uma frase, sendo mais de ouvir ou falar coisas incompreensíveis até para quem tem rudimentares conhecimentos de algum assunto sério.
Mas vale a lembrança do cabeça pensante Mano Brown, do grupo Racionais MC : Do que o ser humano é capaz, você não acredita”. 10/1986
“(…) Mentem no passado,
(…) passam a limpo a mentira
E no futuro mentem novamente (…).”
Affonso Romano de Sant´Anna
“Desculpem-me a falta de originalidade, mas parafraseando Alphonse Capone: “A culpa não é minha e sim dos corruptores.” Paulo César “PC” Cavalcanti de Farias – 1992
LEMBRETE SUSCINTO
“Se o novo prefeito paulistano radicalizar e desalojar o nosso grupo na administração, vamos criar o nosso Movimento Branco do PPB.” – Armando Pinheiro, ex- deputado federal e dirigente do partido do prefeito Celso Pitta – 12/1996
FRITZ O NEGRO 22
“No dia em que alguém se propuser a escrever a história de uma das maiores indústrias automobilísticas brasileiras e por maldade ou proposital omissão, se esquecerem de mencionar o nome do negro Marcílio da Cruz Lopes, podem ter certeza de que ela não é verdadeira. Harald Uler Gessner e Friederich Schultz Wenk, os pioneiros baluartes da implantação da indústria alemã Volkswagen no Brasil já não vivem entre nós para poder relembrar a dedicação e os bons serviços prestados pelo Marcílio, por eles carinhosamente alcunhado Fritz, mas a Auto Data , uma publicação voltada para a divulgação da indústria automobilística brasileira, preocupada com a História decidiu inserir em suas páginas uma síntese que retrata parte da trajetória de um cidadão negro, que um dia conquistou o respeito dos diretores da indústria alemã, de seus familiares e de todos os técnicos que aportavam no Brasil para colaborar na implantação da Volks em nosso país.” Marcos Rozenkwlat – Editor da revista Auto Data.
“Por mais que se queira esconder a verdade de alguns fatos, um
dia ela aparece para desmascarar os que quizeram escondê-la.”
VOTO ?
Ciro Gomes, ministro da Fazenda, em novembro de 1994, em reunião com os exportadores brasileiros, no Rio, aconselha: “Esqueçam o câmbio.”
Neste ano de 2002, como candidato a Presidência da República, ao se reunir com empresários, em São Paulo, aconselha:” Esqueçam o mercado.”
Como um dos batalhadores na campanha eleitoral deste ano pela eleição do ex-governador do Ceará, ministro da Fazenda em 94 e presidenciável em 98, começo a pensar seriamente e me preocupar com a possível decisão da maioria do eleitorado que pode se esquecer de dar seu voto a Ciro Gomes, nas eleições do próximo domingo. 30/9

Antonio Lúcio