S. Paulo – Os policiais militares acusados da morte do motoboy Eduardo Luiz Pinheiro dos Santos (foto), jogado na rua após ter sido torturado nas dependências da Companhia da PM da Casa Verde, já estão soltos e deverão responder o processo em liberdade.
Os acusados – os PMs Raphael Souza Cardoso, Nelson Rubens Soares, Alexandre Seidel, Wagner Aparecido Rosa, Ismael Pereira de Jesus, Rodrigo Monteiro, Antonio Sidnei Rapelli Júnior, Jair Honorato da Silva Junior, Fernando Martins Lobato, Andressa Silvestrini, Rafael Silvestre Meneguini e Jordana Gomes Pereira – estavam cumprindo prisão temporária de 30 dias no Presídio militar Romão Gomes.
A morte do motoboy ocorreu no dia 9 de abril, quando foi levado algemado para o quartel, depois de discutir com outros três homens por causa do roubo de uma bicicleta. Eduardo teria revidado a um soco dado por um dos acusados.
No quartel testemunhas o viram ser barbaramente espancado. Posteriormente foi encontrado na rua bastante machucado. Levado ao Pronto Socorro de Santana, já chegou morto.

Da Redacao