Brasília – O estudante Adilson Fernandes Indi, do Curso de Sociologia da UnB, confirmou nesta quarta-feira, ao delegado Francisco Serra Azul, da Polícia Federal, os nomes de mais três suspeitos envolvimento no atentado de conotação racista praticado na semana passada contra estudantes africanos que estudam na Universidade de Brasília.
Além de Wagner Guimarães, que já havia aparecido como suspeito, Indi apontou ainda os estudantes Roosevelt Reis, e outros dois de nome Francisco e Fredy, que já haviam se envolvido em hostilidades contra os africanos. Os três negam as acusações.
Depois de oito dias praticamente confinados em um hotel da Asa Norte de Brasília – o Bittar Plaza -, cujo nome foi mantido em segredo por razões de segurança, o grupo de 16 africanos voltou nesta quarta-feira aos alojamentos da Casa do Estudante Universitário. A estadia no hotel foi bancada pela direção da UnB, por decisão do reitor Timothy Mulholland. Os apartamentos que tiveram suas portas praticamente destruídas no atentado, passaram por uma rápida reforma.
Todos estão preocupados com as condições de segurança, porque os suspeitos são vizinhos com quem cruzem freqüentemente nos corredores. Além de Indi, o delegado Serra Azul também ouviu o estudante Samory de Souza, também da Guiné Bissau, que confirmou que as hostilidades que desembocaram no atentado já vinham ocorrendo há alguns meses e eram de conhecimento da direção da Universidade.

Da Redacao