Rio – O estudante Paulo Henrique da Silva, do Curso de Pedagogia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, foi violentamente espancado por sete seguranças na frente uma sobrinha de apenas 7 anos, apenas porque discutia com sua namorada Quésia Pacheco. O fato aconteceu na última quinta-feira, 20/07, por volta das 19h20, no hall principal do campus da Universidade na Rua São Francisco Xavier, no Maracanã.
“Eles me agarraram me deram socos e pontapés. Alguns colegas tentaram interceder a meu favor explicando que eu era estudante da Universidade e um dos seguranças, ameaçou: “Eu vou “te passar”, – disse dirigindo-se a um estudante que tentou interceder. O termo “passar” significa ameaça de morte.
Chocado, o estudante procurou a Reitoria da Universidade e depois a Polícia. O caso está registrado no 18º DP, onde foi instaurado inquérito policial. Depois de ir a Polícia, o estudante também passou por exame de Corpo de Delito no IML, que apontou as marcas da sessão de espancamentos a que foi submetido.
Paulo Henrique disse que ainda não tem advogados para acompanhá-lo e teme por sua segurança porque os agentes de segurança continuam normalmente na UERJ. “Posso reconhecer todos os que me agrediram covardemente, na frente de uma criança e de minha namorada”, afirmou.
Ele deverá procurar o Ministério Público do Rio ainda esta semana para relatar a agressão sofrida. Também deve entrar com representação junto à Reitoria da Universidade pedindo ao reitor Nival Nunes de Almeida, a instauração de processo disciplinar contra os que praticaram o espancamento e a demissão sumária de todos os que participaram da agressão.

Da Redacao