Maputo/Moçambique – Rosta José Lichucha, 22 anos, estudante de Jornalismo da Escola de Comunicação e Artes da Universidade Eduardo Mondlane, a mais importante de Moçambique, é a primeira correspondente credenciada de Afropress, em Maputo, a enviar matérias como parte do projeto de estreitamento dos laços e cooperação entre o Brasil e aquele país africano, apresentado no I Seminário Nacional de Jornalismo Cultural, realizado no mês passado pela Universidade.
A exemplo de outros jovens do Curso de Jornalismo, ela pediu para ser correspondente voluntária, após o convite feito pelo editor, jornalista Dojival Vieira, que esteve em Maputo no mês passado para participar do Seminário promovido pela Escola de Comunicação e Artes (ECA).
Na primeira matéria, Lichucha, que é aluna do último ano do Curso e pretende seguir carreira no Jornalismo, relata o clima e os números das eleições intercalares que aconteceram nesta quarta-feira (07/12) em três municípios – Cuamba, Pemba e Quelimane – nas Províncias de Niassa, Zambézia e Cabo Delgado.
“Esta oportunidade de poder ser correspondente da Afropress vai contribuir para o aumento do meu nível de aprendizagem, com garantia de que como estudante motivada pela busca e implementação do conhecimento, vou dar o máximo no que respeita à recolha, seleção, produção e publicação de informações,que possam manter o público-alvo da agência noticiosa informado acerca do que acontece em Moçambique, em particular”, afirmou.
Na reforma de sua página, programada para entrar no ar em janeiro, a Afropress reservará espaço próprio para os correspondentes em Moçambique, com as matérias assinadas e com fotos de seus autores.
A iniciativa faz parte do projeto de cooperação na na área do Jornalismo proposto no Seminário e defendido pelo diretor da Escola, Natanael José Ngomane, que viveu no Brasil durante oito anos e fez doutorado na Universidade de S. Paulo.
Ngomane é de opinião que a integração Brasil/África deve acontecer não apenas no terreno diplomático e na relação entre Estados. “Tem de acontecer nos diferentes níveis, na Academia, no Jornalismo, na Música, no Teatro, enfim nas coisas do dia a dia”, afirmou.
Até o momento já foram credenciadas como correspondentes, além de Lichucha, os estudantes Luiz Cumbe, Cláudia Muguande, Slaide Muthemba e Iracema Joel.
Confira o primeiro relato da correspondente Rosa Lichucha, sobre as eleições que aconteceram nesta quarta-feira (07/12).
Eleições em Moçambique
Eleitores vão às urnas em Cuamba, Pemba e Quelimane
No âmbito das eleições intercalares que se realizaram esta quarta-feira, 07 de Dezembro de 2011, nos municípios de Cuamba, Quelimane e Pemba localizados nas províncias de Niassa, Zambézia e Cabo Delgado, respectivamente, pouco mais de trezentos mil eleitores vão se dirigir às urnas para exercer o seu direito de voto.
De acordo com o Jornal Notícias publicado esta quarta-feira em Maputo, destes eleitores, 90 mil irão votar em Pemba (Cabo Delgado), 47 mil em Cuamba (Niassa) e 140 mil vão no município de Quelimane, na província de Zambézia.
A Província é um dos pontos estratégicos para os próximos pleitos eleitorais e a segunda com maior número de habitantes.
Durante a campanha eleitoral, a caça ao voto entre os dois candidatos que disputam a presidência do Município de Quelimane, nomeadamente Lourenço Abubacar, da FRELIMO, e Manuel de Araújo, do MDM, foi muito renhida. Deste modo, a FRELIMO, para apoiar o seu candidato teve que mobilizar grande parte dos seus quadros seniores.
Concorrem para a presidência do Município de Pemba, Tagir Carimo, da FRELIMO, Assamo Tique, do MDM, e Emiliano Moçambique, do PAHUMO. Em relação à Cuamba, Maria Moreno do MDM e Vicente Lourenço da FRELIMO vão disputar a presidência do Município.
Para além da colaboração de 1.500 voluntários mobilizados pelo Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE), que irão trabalhar em 290 mesas de assembleias de voto, o processo será acompanhado por 326 observadores, dos quais 22 são estrangeiros e os restantes são nacionais. Deste número total de mesas de assembleias, 141 vão funcionar em Quelimane, 95 em Pemba e 53 em Cuamba.
Concorrem nestas eleições intercalares um total de sete candidatos propostos pelos partidos FRELIMO, Movimento Democrático de Moçambique (MDM) e Partido Humanitário de Moçambique (PAHUMO).
Desse número, três candidatos concorrem à presidência do Município de Pemba, dois à presidência do Município de Quelimane e, por último, dois à presidência do Município de Cuamba.

Da Redacao