Brasília – Alunos do Curso de Sociologia da Universidade de Brasília estão denunciando o professor Thadeu de Jesus e Silva, doutor em Sociologia, por opiniões de caráter supostamente racistas expostas na sala de aula. O ofício encaminhado ao coordenador de Graduação é assinado por Anita Cunha Monteiro e Juliana Floriano Watson, alunas da Universidade.
Segundo elas, durante a aula Introdução à Metodologia em Ciências Sociais, no dia 15 de fevereiro, o professor, ao se referir às religiões de matriz africana teria dito que eram responsáveis pela irracionalidade predominante no Brasil e prejudicam o desenvolvimento do país.
O professor teria ainda acrescentado em defesa de sua tese que, bastaria comparar o Brasil a outras sociedades capitalistas tradicionais pautadas por valores protestantes racionais. “Samba de crioulo não usa nem a metade das sete racionalidades encontradas na música clássica”, teria acrescentado em aberta depreciação aos valores da cultura afro-brasileira.
Questionado sobre a política de cotas adotada pela UnB, o Professor teria reagido com sarcasmo e perguntado aos presentes se realmente acreditavam que “essa idéia daria certo”.
Na seqüência da análise, de acordo com as alunas, o professor Thadeu teria dito que a elite branca detém e sempre deterá os principais postos de hierarquia do poder, acrescentando: “Quando a UnB estiver cheia de negros, os ricos dirão que ela (UnB) não presta, e o melhor será o IESB. E todos correrão para lá”.
O professor Thadeu teria ainda dito não havia nadadores negros internacionalmente reconhecidos porque “os negros têm os osssos mais pesados e nunca ganhariam”. E teria terminado perguntando a uma aluna se colocaria um negro como maestro de uma orquestra sinfônica européia, argüindo que o negro não tem o padrão dos maestros desse nível. “Vocês já viram preto ser bonito nesse país?”, teria ironizado.
Tudo isso para, ao ser questionado, defender-se:”Mas eu não sou racista, pelo contrário sou anti-racista”, teria afirmado perante a classe.
Em virtude da gravidade do caso, as alunas protocolaram representação no Departamento de Sociologia pedindo que seja apurado o comportamento do professor. As estudantes querem que o Departamento se manifeste publicamente sobre o caso.
Recentemente ao receber o título de doutor Honoris Causa, da Universidade, o ex-senador Abdias do Nascimento, entregou dossiê sobre racismo na Universidade elaborado pelo cientista político Gustavo Amora.
O reitorTimothy Mulholland ficou visivelmente constrangido quando Abdias afirmou antes de iniciar seu discurso de agradecimento: “- Timothy, estamos recebendo muitas denúncias de racismo aqui na UnB e esperamos que você receba este dossiê e avalie com seriedade esta questão”, acrescentou.

Da Redacao