S. Paulo – Estudantes da Rede Educafro – Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes -, entidade coordenada pelos frades franciscanos e dirigida pelo Frei David Raimundo dos Santos, farão a inauguração simbólica de um busto de Zumbi dos Palmares, no local onde no passado havia venda de escravos, próximo à estação do metrô Anhangabaú. Em S. Paulo não há nenhum monumento em homenagem ao único líder negro, considerado herói nacional pelo Estado brasileiro.
Segundo Thiago Thobias, coordenador de Políticas Públicas da Educafro, o busto representará a memória da resistência negra contra a escravidão. “Palmares foi a primeira grande experiência da organização da libertação popular. O dia 20 de novembro é importante para a militância porque resgata história de Zumbi, e a experiência de um grande movimento social e libertário que foi a experiência de Palmares”, afirmou.
A mobilização dos estudantes começa a partir das 10h na Praça da República. Lá haverá protesto contra a qualidade de ensino na rede estadual e denunciarão a falta de professores.
Em seguida seguirão para a frente do Teatro Municipal para cobrar da Prefeitura a adoção de ações afirmativas na cultura. Depois irão a reitoria da Unesp para protestar pela ausência de ações afirmativas naquela universidade. “Será um momento de celebração, de lembrança da luta por conta do sofrimento mas, também, de resgate das nossas vitórias”, concluiu Thobias.
Após a instalação do busto de Zumbi, os estudantes seguem para a Avenida Paulista para a manifestação com as várias entidades que estão convocando a Parada e Marcha da Consciência Negra, no vão do MASP.

Da Redacao