Brasília – Estudo feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) revela que a diferença média entre salários de negros e brancos no Brasil diminui de 91% para cerca de 15% quando se referem a profissões que exigem do candidato formação superior.
O estudo foi feito no mês passado pela socióloga Ana Lúcia Sabóia, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, e pelo economista João Sabóia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Segundo seus autores o objetivo da pesquisa foi dar mais subsídios para a discussão das cotas de acesso à universidade.
De acordo com os dados levantados, os negros ainda são minoria em dez grupos profissionais
(saúde, engenharia, psicologia, ciências matemáticas, biológicas, sociais,
humanas, jurídicas, informática e contadores), oscilando entre 13% e 18% do total.
Apenas no curso de Assistente social, uma das ocupações menor remuneradas, a participação negra é significativa, chegando a 33% .
Veja as diferenças salariais em algumas profissões
Vejas algumas profissões
Profissionais de ciências sociais e humanas
Negros – R$ 3.011
Brancos – R$ 3.236
Psicólogos
Negros – R$ 1.826
Brancos – R$ 2.485
Arquitetos
Negros – R$ 2.566
Brancos – R$ 3.086
Professores do ensino superior
Negros – R$ 3.305
Brancos – R$ 3.544
Assistentes sociais
Negros – R$ 1.063
Brancos – R$ 1.470
Fonte: pesquisa de Ana Lúcia Saboia e João Saboia

Da Redacao