S. Paulo – Como parte das atividades do Mês da Consciência Negra em S. Paulo, promovidas pela Coordenação de Políticas para Negros e Indígenas do Governo do Estado, a ex-consulesa da França, Alexandra Baldeh Loras, falou sobre “Feminismo Negro no Brasil”, em palestra realizada no auditório do Páteo do Colégio neste sábado (05/11).

Loras é jornalista e apresentadora de televisão francesa, casada com o diplomata Damien Loras. Este ano eles decidiram deixar a atividade consular e permanecer no Brasil como sócios da Loras D&A Consultoria de empresas que desejam investir no Brasil. O nome reúne as iniciais de ambos.

Ela tornou-se uma palestrante de sucesso, com mais de 150 palestras no currículo, a maioria gratuitas. Desde que começou, porém, passou a ser convidada por bancos e multinacionais dispostos a pagar até R$ 15 mil para ouvi-la.

Para a juíza Mylene Ramos, única magistrada negra no Fórum Trabalhista da Zona Sul de SP, a ex-consulesa “ganhou protagonismo na luta contra a discriminação racial no Brasil, além de se expressar de uma forma que as pessoas querem ouvir”.

Na palestra estiveram presentes o presidente do Conselho Estadual da Comunidade Negra, Ivan Lima, o ex-presidente do Conselho, Marco Antonio Zito Alvarenga, a advogada Carmem Dora, e lideranças negras do interior como Eliza Gabriel, Angela Santana, Regis Batista, a juíza Mylene Ramos, e Cleonice Caetano, do Sindicato dos Comerciários de S. Paulo e da UGT.

 

Da Redacao