S. Paulo – O aposentado negro Domingos Conceição de Souza, 47 anos, baleado por um vigilante numa agência do Banco Bradesco, em S. Miguel Paulista, na última quinta-feira (06/05), ao tentar passar pela porta giratória, será submetido a uma nova bateria de exames nesta segunda-feira (10/05), que poderá confirmar a morte cerebral.
Na última sexta-feira (07/05), um exame realizado pelos médicos do Hospital São Camilo, onde está internado, indicou ausência de atividade neurológica.
Segundo o diretor médico da unidade Ipiranga do Hospital São Camilo, na Zona Sul de S. Paulo, o exame mostrou “que ele não tem fluxo sanguíneo no cérebro e isso é um indicativo da morte cerebral”. Entretanto a morte encefálica só poderá ser confirmada nos exames que fará nesta segunda.
“A gente ainda não pode garantir a morte encefálica, porque 72 horas é o tempo que podemos avaliar com segurança, sem a interferência de drogas, o estado neurológico dele”, complementou Almeida, que é cirurgião geral.
O aposentado foi atingido por um tiro disparado contra a cabeça pelo vigilante Pedro Gonçalves de Almeida, 37 anos, que está preso, na manhã de quinta. O cozinheiro Joaquim Minesoba, atingido de raspão no nariz pela mesma bala que atravessou a cabeça de Domingos, foi atendido e liberado.
De acordo com testemunhas, Domingos informou que usava um marcapasso, mas ainda assim foi barrado na porta-giratória. Diante disso pediu ao vigilante para entrar mas foi impedido. Na discussão rápida que se seguiu, o vigilante disparou.

Da Redacao