O advogado Hédio Silva Jr., vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-SP, entrou a semana passada com uma ação na Justiça contra o Estado por danos materiais, morais e discriminação racial, em nome da família do dentista Flávio Sant`Ana, morto em fevereiro deste ano, por policiais militares.
O dentista foi morto, na Zona Norte de S. Paulo, depois de ser confundido com um ladrão. Os policiais, de início, disseram que uma suposta testemunha havia reconhecido o dentista como o assaltante que teria levado seu dinheiro, versão posteriormente desmentida pela própria testemunha. Os sete policiais envolvidos foram denunciados por homicídio duplamente qualificado e aguardam julgamento.
Na ação, Hédio pede o pagamento de uma pensão mensal ao pai do dentista – Jonas Sant`Ana, por 37 anos, período em que o dentista levaria para se aposentar. Segundo Hédio, a ação tem finalidade “compensatória e punitiva”. “A ação, evidentemente, não devolve a vida da vítima, mas busca compensar de algum modo a dor dos familiares, ao mesmo tempo em que pune o Estado por não preparar os seus agentes para atuarem nos limites da legalidade”, afirmou.

Da Redacao