Brasília – A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) assumiu, durante audiência realizada nesta sexta-feira (26/01) na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados, compromisso de apresentar, no prazo de seis meses, o Mapa que indique a diversidade de trabalhadores no setor bancário.
O compromisso foi assumido pelo diretor de relações institucionais da Febraban, Mário Sérgio Vanconcelos, que reconheceu como justas as cobranças lançadas por entidades da sociedade civil, como o Instituto de Advocacia Ambiental e Racial, sob a liderança do advogado Humberto Adami, e que foram transformadas em ações judiciais promovidas pelo Ministério Público do Trabalho.
O vice-procurador geral do Trabalho, Otávio Brito Lopes, participou da audiência. Segundo ele, as 115 instituições representadas pela Febraban têm interesse em lançar diagnóstico do setor e ao mesmo tempo adotar estratégias de promoção da diversidade.
Vasconcelos disse que o estudo a ser concluído em seis meses, deverá incluir plano de ação e mecanismos de acompanhamento.
Durante a audiência, o assessor do Ministério Público, Santiago Falluh Varella, apresentou as ações da instituição em favor da diversidade no setor bancário e demonstrou com dados que, a comparação da população economicamente ativa com o perfil dos trabalhadores nos bancos, permitiu ao MPT concluir que negros e mulheres são contratados em menor volume, da mesma forma que são menos promovidos a cargos de chefia e preteridos em termos salariais.
O Procurador-Geral do Trabalho em exercício, Otavio Brito Lopes, elogiou a iniciativa da Febraban em fazer o próprio diagnóstico, enfatizando que as negociações decorrem de um processo que começou há mais de dois anos. “O setor bancário é emblemático, pois puxa os demais da economia. Além disso, o setor precisa demonstrar que tem responsabilidade social”, afirmou.

Da Redacao