Munique/Alemanha – Simone Weissmann, uma baiana, nascida em Salvador, tornou-se a embaixadora informal da comunidade negra que vive na Alemanha e do Brasil promovendo, todos os anos, no Centro de Conferência do Hotel Hilton Munich Park, um evento que movimenta a vida social da cidade: a Feijoada VIB, que reúne artistas, personalidades da vida cultural e social, empresários e celebridades.

Ela vive há 18 anos fora do Brasil e há 12 mora em Munique, com o marido, o médico Irving Weissmann, com quem é casada há 10 anos e tem três filhos, nascidos na Alemanha.

Para Simone, que continua acompanhando tudo o que acontece no Brasil, inclusive as denúncias de racismo, é necessário furar a barreira de silêncio que ainda existe sobre o tema. “As pessoas não podem mais ter receios de falar sobre esse importante assunto que é o racismo. Eu, que moro há muito tempo fora, quando ouço dizer que a mentalidade sobre o racismo no Brasil mudou, me pergunto: onde? Apesar da nossa população ter 54% [50,7% de pretos e pardos, de acordo com o Censo do IBGE 2010] de negros, fico espantada que ainda seja uma coisa tão rara os negros frequentarem lugares de alto padrão”, constata.

A empresária acrescenta que, quando frequenta lugares de alto padrão no Brasil, sempre faz parte de uma minoria.”É comum as pessoas pensarem que sou artista ou mesmo estrangeira, por não acreditarem que uma negra pode estar numa situação boa. O Governo brasileiro deveria inserir nas escolas progamas que mudassem a visão da crianças com relação ao negro. A população precisa aprender que racismo é burrice”, acentua.

Simone também promove anualmente em Munique o VIB Award, prêmio concedido a uma personalidade brasileira internacionalmente conhecida que com seu trabalho contribua para o fortalecimento do Brasil no exterior.

Confira, na íntegra, a entrevista da empresária Simone Weissmann, por e-mail, de Munique, ao editor de Afropress, jornalista Dojival Vieira.

Afropress –  Há quantos anos você está fora do Brasil e há quantos vive em Munique?

Simone Weissmann (na foto ao lado com o designer Guto Índio da Costa, um dos homenageados na VIB 2012) – Sou do Estado da Bahia, nascida em Salvador. Sou casada há 10 anos com o médico Irving Weissmann e tenho três lindos filhos. Me formei auxiliar de dentista e me especializei em higiene dental. Há quatro anos, depois de ser mãe, abri uma empresa de eventos. Já há três anos organizo um evento brasileiro anual chamado "Feijoada VIB". Eu tenho uma vida super corrida, pois sou esposa, mãe e empresária, mas amo tudo que faço.

 
Afropress – Quais são as principais dificuldades para um brasileiro, mais ainda uma mulher e negra quando chega prá ficar em país como a Alemanha?
 

SW – Independente de ser negra, pois isso aqui não conta muito, a grande dificuldade é aprender o idioma e se integrar na cultura alemã.

Afropress – Como você começou a se envolver com a comunidade brasileira de Munique? Como essa comunidade está organizada e qual é a sua agenda de atividades?

SW – Como já falei, organizo um evento brasileiro anual, que esse ano já estará na sua quarta edição. Com isso, fiquei conhecida entre os brasileiros. A Feijoada VIB desse ano será no dia 12 de outubro.

Afropress – Você disse que pretende mudar a visão que o europeu tem de que no Brasil só tem samba e futebol. Como?

SW – Esse foi um dos motivos pelos quais criei a Feijoada VIB, um evento de alto estilo, que traz sempre informações sobre o Brasil atual. A cada ano, elegemos uma grande personalidade brasileira que vem se destacando fora do Brasil, representando o nosso país aqui fora. No nosso evento de 2.012 tivemos como tema a miscigenação brasileira e homenageamos o designer carioca Guto Indio Da Costa.

Afropress – Como depois de vivenciar a realidade do racismo no Brasil, você vê essa realidade de fora? Acompanha os casos de racismo denunciados com freqüência no Brasil?

SW – Esse tema "racismo" é muito delicado e difícil de tocar, pois desde crianças nós aprendemos que o povo negro é submisso, mas acredito que já está mais que na hora de mudar essa situação no Brasil.

Esse assunto tem que ser abordado nas mídias, as pessoas não podem mais ter receios de falar sobre o que é o racismo. Eu, que moro há muito tempo fora, quando ouço dizer que a mentalidade sobre o racismo no Brasil mudou, me pergunto: onde? Apesar da nossa população ter 54% de negros, fico espantada que ainda seja uma coisa tão rara os negros frequentarem lugares de alto padrão.

Isso significa que o negro ainda tem um padrão muito baixo. Por que será? Quando frequento lugares de alto padrão no Brasil, sempre faço parte da minoria como negra! É comum as pessoas pensarem que sou artista ou mesmo estrangeira, por não acreditarem que uma negra possa estar numa situação boa.

O governo brasileiro deveria inserir nas escolas programas que mudassem a visão da crianças com relação ao negro. A população precisa aprender que racismo é burrice, que juntos iremos alcançar tudo muito mais rapido! Desde que conheço a Afropress, tenho sempre obtido informações importante sobre esse assunto.

Afropress – Por gentileza, faça as considerações que julgar pertinentes.

SW – Caro Dojival, fiquei muito feliz em receber o convite da Afropress para essa entrevista, pois o racismo é um assunto que eu considero de suma importância. Quem quiser conhecer melhor o nosso evento Feijoada VIB (ww.feijoada-vib.de), convido a visitar o site www.simoneweissmann.de

Acho importante ressaltar que já tentei varias vezes, sem sucesso, receber apoio do Brasil. Já tentamos inúmeros contatos com a Embratur e com o Ministério do Turismo mas, infelizmente, não obtivemos retorno, mesmo estando fazendo uma ótima promoção para o país.

O nosso evento garante um ambiente bem agradável para conversa sobre as oportunidades e participar de um networking descontraído. Neste ano, calculamos a participação de 600 personalidades exclusivas, não só da Alemanha – executivos e VIP's dos setores de economia, esporte, política, arte etc. Vale também lembrar que Munique tem um poder aquisitivo dos mais elevados da Europa.

O Centro de Conferência do Hotel Hilton Munich Park, onde o Evento é realizado, é um local ideal, exclusivo e de alto nível, e dispõe no Foyer de uma área reservada, com 800m², para exposição de produtos.

Com estas informações adicionais, quero mostrar nossos esforços para promover o Brasil e ajudar exportadores brasileiros. Até o momento, eu já fiz grandes investimentos para conseguir realizar um evento desse porte, que já é bem conhecido e representa muito bem o Brasil atual. Mas, infelizmente, tenho dificuldade em conseguir patrocinadores brasileiros e apoio do Governo do Brasil.
 
Também quero chamar a atenção para o VIB Award, o prêmio que concedemos anualmente a uma personalidade brasileira internacionalmente conhecida que, com seu trabalho, fortalece a reputação de um Brasil moderno. Se você tem alguma sugestão sobre quem poderia ser homenageado com este prêmio, ela seria uma grande ajuda.

Espero que o nosso contato não fique por aqui e caso você  venha a Munique, não deixe de me avisar. Um grande abraço e força nessa grande luta. Estou junto com vocês.

Da Redacao