A edição deste ano que acontece entre os dias 17 e 18 de dezembro, além dos 10 anos, marcará o lançamento da Franquia Social, o que vai permitir a realização do evento em outras regiões do país.
Segundo Adriana Barbosa, idealizadora do evento, a Feira já recebeu mais de 90 mil pessoas e movimentou R$ 2,5 milhões em negócios, a partir da proposta de fomentar o empreendedorismo étnico e fortalecer a cultura negra no país.
Adriana disse que também já iniciou a captação de recursos que este ano está aprovada na Lei Rouanet, com isenção em 100% das empresas e doadores interessados em contribuir par ao projeto.
Para viabilizar as franquias, segundo Adriana, o O Instituto Feira Preta realizará cursos para capacitar empreendedores que queiram levar o formato para outros Estados.
“A décima edição não só reafirmará a importância da cultura negra no país, como também mostrará a força do mercado étnico. Nos tornamos pioneiros num evento exclusivamente criado para o segmento negro, e o que percebemos é que a Feira acompanhou o crescimento da participação do negro na economia brasileira”, afirma.