Rabat/Marrocos – Enquanto Pelé negava, em entrevista em S. Paulo, na semana passada, a existência de racismo no futebol, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, anunciou neste domingo medidas severas, especialmente contra os clubes, cujos jogadores, técnicos ou funcionários se envolverem em incidentes racistas.
“É preciso coibir tais atos, não apenas com multas, mas com sanções esportivas, como a perda de pontos para o clube ou sua exclusão das competições em caso de reincidência”, afirmou Blatter, em entrevista coletiva em Rabat (Marrocos), onde inaugurou um centro de formação para jovens atletas de futebol.
Em março passado, o Comitê Executivo da entidade máxima do futebol estabeleceu mudança no seu Código Disciplinar, criando penas mais duras contra o preconceito racial. Partidas poderão ser suspensas, estádios fechados, multas aplicadas e os clubes envolvidos poderão perder pontos e ser desclassificados das competições, no caso de atos racistas, tanto nos gramados quanto nas arquibancadas.
Blatter disse que a partir de agora “a luta contra o racismo será uma das principais prioridades da Fifa” “Da mesma forma que o combate ao doping”, concluiu.

Da Redacao