Salvador – O arcebispo sul-africano e Prêmio Nobel da Paz, Desmond Tutu, foi a maior estrela presente ao Carnaval da Bahia, iniciado na quinta-feira da semana passada e que só termina no final do dia desta quarta. Tutu, que junto com Nelson Mandela foi uma das mais importantes lideranças do movimento que botou abaixo o apartheid, foi recepcionado pelo ministro da Cultura, Gilberto Gil, no Trio Elétrico 222., na noite de segunda-feira.
Vestido com as roupas dos “Filhos de Ghandi”, Afoxé no qual desfila todos os anos, Gil destacou a importância de Tutu e da luta dos negros sul-africanos para que o Estado brasileiro passasse a adotar políticas de promoção da igualdade racial.
“It’s fantastic!”, disse Tutu, vendo a multidão que lotava os circuitos do Campo Grande e Bairro/Ondina.
O carnaval baiano também teve Caetano Veloso, afastado desde 2.005, puxando o trio independente “O Pai, Ó”, acompanhado do ator Lázaro Ramos. Caetano também saiu no chão com o Cortejo Afro e o bloco “Pipocão” de Carlos Brown.
Enquanto os milhões – a maioria turistas do sul e estrangeiros pulavam dentro dos blocos – nos “pipocões”, atrás dos cordeiros (o pessoal que vai segurando as cordas para a passagem dos blocos), a violência deixou sua marca.

Da Redacao