Recife – “Ações Afirmativas em Brasília: UnB e Congresso Nacional” será o tema da Oficina prevista para acontecer no Fórum Social Brasileiro que começa nesta quinta-feira na Universidade Federal de Pernambuco, em Recife e se encerra no domingo, 23/04. A Oficina, que será coordenada por Gustavo Amora, está marcada para o sábado à tarde, no Anfiteatro 01.
A Universidade de Brasília foi a primeira universidade federal a implementar o sistema de cotas para negros. Segundo Amora, que é mestrando do Instituto de Ciência Política da Univesidade e assessor em Advocacy da Ágere – Cooperação em Advocacy, uma empresa de consultoria, o primeiro objetivo desta atividade é discutir a implementação de cotas na UnB, desvendando o histórico deste debate e mostrando o cenário atual da univesidade. O segundo, acrescenta, é discutir os projetos de ações afirmativas que tramitam no Congresso Nacional.
Como parte da Oficina haverá exibição do curta metragem “Sobre o signo da justiça – a Luta pelas cotas na UnB”, de Ernesto Carvalho, antropólogo e mestrando do Departamento de Antropologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Carlos Henrique Siqueira.
Durante a Oficina, Amora também falará sobre os ataques que sistemáticos de racistas a Afropress – Agência Afroétnica de Notícias – e lançará campanha em defesa da liberdade e independência da mídia negra e do Direito à informação e à Comunicação.
É do Curso de Letras da UnB o estudante Marcelo Valle Silveira Mello, o primeiro acusado de prática de crime de racismo na Internet levado ao banco dos réus, no Brasil. Mello está sendo processo pela Justiça de Brasília, depois de ser formalmente denunciado pelo Ministério Público com base na Lei 7.716/89.

Da Redacao