S. Paulo – A definição de uma agenda e das estratégias para continuar pressionando o Congresso a votar o Estatuto, serão os principais temas da primeira reunião do Fórum SP da Igualdade Racial, nesta terça-feira (15/01) às 18h30, na sede da Comissão do Negro e Assuntos Anti-Discriminatórios da OAB/SP (CONAD), à Rua Anchieta, 35 – Centro.
Segundo o coordenador do Fórum, advogado Marco Antonio Zito Alvarenga, a reunião servirá para reaglutinar todas as forças que durante o ano passado se mobilizaram e conseguiram sensibilizar o Congresso a colocar o projeto, que estava engavetado, na ordem do dia. O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), se comprometeu a pautar o Estatuto para votação, promessa que será cobrada este ano. Também deverá ser definida a data do lançamento da III Jornada de Mobilização com a continuidade da coleta de assinaturas em favor da aprovação do Estatuto, do PL 73/99 e da PEC 02/06.
Além disso, Zito lembra que Chinaglia também se comprometeu a receber em audiência as entidades que compõem o Fórum e lideranças de todo o país, a cada dois meses, para um balanço da tramitação das matérias de interesse da população negra brasileira.
A reunião de terça-feira também servirá para concluir a nova composição do Fórum, que é integrado pela CONAD/OAB/SP, Sindicato dos Comerciários de São Paulo, Movimento Brasil Afirmativo, Rede Educafro e dezenas de outras entidades negras e anti-racistas.
Zito disse, em entrevista à Afropress, que fará um chamado a todos os setores favoráveis ao Estatuto para que se engajem na mobilização que visa pressionar o Congresso a votar a matéria, porém, descartou qualquer mudança na linha de atuação do Fórum. “Todos os setores e movimentos que desejam somar esforços em busca do bem comum que motivou o início deste Movimento são bem-vindos, porém, devem ficar cientes de que as regras já estão postas. A estratégia encontra-se esboçada e há uma coordenação à frente dos trabalhos, não sendo admissível a busca de novos caminhos sem qualquer identidade com o já em desenvolvimento”, afirmou.

Da Redacao