Brasília – Os ministros da Educação e da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, respectivamente Fernando Haddad e Matilde Ribeiro, manifestaram-se favoráveis à aprovação do PL 73/99, da deputada Nice Lobão (PFL-MA), que propõe a reserva de cotas nas Universidades, mas o Governo Lula não mobiliza sua base para votar a proposta. O projeto aguarda votação na Câmara e tem forte oposição de deputados do PFL e do PSDB, contrários as ações afirmativas.
Para a ministra Matilde Ribeiro, as experiências de reserva de vagas nas universidades públicas levaram a sociedade a mudar o seu olhar sobre o tema. Também Haddad disse que a opinião pública não vem sendo corretamente informada sobre a criação das cotas e admitiu que há setores interessados em “partidarizar” um tema que não é partidário. “Não se trata de um debate entre progressistas e conservadores ou entre racistas e não-racistas”, disse o ministro.
A adoção de cotas nas Universidades foi um compromisso assumido na campanha pelo então candidato Lula. Enquanto o debate emperra no Congresso, 17 Universidades Estaduais e Federais, no país, já adotaram cotas. A Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), por exemplo, vota a proposta no dia 08 de maio.

Da Redacao