S. Paulo – Em plena fase de construção de seu próximo espetáculo cujo tema será “afetividade de mulheres negras”, o coletivo de teatro Os Crespos utilizará a Praça da República, região central de São Paulo, como espaço de investigação cênica dos temas da pesquisa do projeto “Dos Desmanches aos Sonhos – Poética em Legítima Defesa”. 

Cinco atrizes do grupo, conjuntamente com o Coletivo Mães de Maio, farão uma performance teatral na Praça no próximo dia 20 de setembro de 2013, das 17h às 18h. A performance: mulheres negras ocupam o local para falar sobre sua afetividade, assuntos privados, porém, discutidos em praça pública. Amor, sexo, família, feminilidade, sobrevivência e racismo ganham espaço em horário de pico no coração da cidade. 

As atrizes Maria Dirce Couto, Nádia Bittencourt, Dirce Thomaz, Darília Lilbé e Dani Rocha interagem com o público discutindo questões do feminino e das liberdades e aprisionadores sociais, por meio do discurso teatral.

Projeto

O projeto “Dos Desmanches aos Sonhos – Poética em Legítima Defesa” é a mais nova empreitada da Cia. Os Crespos. O objetivo é investigar através de pesquisa cênica-áudio-visual o impacto da escravidão e as esferas das relações entre afetividade, negritude e gênero no Brasil, para a construção de uma trilogia de espetáculos que abordam as relações intersubjetivas de desejo e construção de identidade.

Como parte desse processo, Os Crespos já realizaram palestras públicas com o presidente da Fundação Cultural Palmares, Hilton Cobra, o Cobrinha, e com a psicóloga Clélia Prestes, além de entrevistas com mulheres negras de diferentes classes, como ativistas, empreendedoras, donas de casa, mulheres do sistema prisional, sambistas e candomblecistas, entre outras. O resultado das pesquisas e das ações servem como fonte para a criação de um novo espetáculo que tem previsão de estreia para novembro de 2013.

"Os Crespos"

 Os Crespos é um coletivo teatral de pesquisa cênica áudio-visual, debates e intervenções públicas, composto por atores negros. Formou-se na Escola de Arte Dramática EAD/ECA/USP e está em atividade desde 2005. Em 2006 estreou com o espetáculo “Anjo Negro”, com direção do alemão Frank Castorf; em 2007 volta ao palco com “Ensaio sobre Carolina”; em 2009 e 2010 apresentou o projeto “A construção da imagem e a imagem construída”; em 2011 estreou “Além do Ponto”, com direção de José Fernando de Azevedo.

Coletivo Mães de Maio

O Coletivo é formado por um grupo de mulheres que tiveram seus filhos executados em 2006 e que tem na busca pela justiça seu principal objetivo. O grupo conquistou reconhecimento dentro e fora do Brasil por suas conquistas, como a extinção do termo “resistência seguida de morte” nos BOs das ações policiais de São Paulo, há muito tempo recomendada por entidades da área jurídica, por integrantes do Ministério da Justiça e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Serviço

Projeto “Dos Desmanches aos Sonhos – Poética em Legítima Defesa”, intervenção teatral  do coletivo Os Crespos com as Mães de Maio

Local: Praça da República, Centro de São Paulo

Dia: 20 de setembro de 2013, das 17h às 18h

Atividade gratuita

Da Redação, com informações de Lau Francisco