La Paz – Indígenas da nação guarani, que vivem em território boliviano, ocupam, desde sábado, uma estação de controle do gasoduto de Transierra – empresa com participação da Petrobrás – e ameaçam fechar a válvula de passagem, segundo garantiu Wilson Chagaray, líder da Assembléia do Povo Guarani (APG).
O gasoduto, que serve para a exportação energética boliviana ao Brasil desde 2004, pertence a Transierra, um consórcio com participação da Petrobras, da hispano-argentina Repsol YPF e da francesa Totalfinaelf.
Segundo o líder da APG – que reúne cerca de 100 mil habitantes de três departamentos da Bolívia -, cerca de 250 indígenas ocuparam pacificamente a estação. “As válvulas e outros equipamentos não foram tocados”, disse Chagaray. o líder da APG, uma organização que agrupa a quase 100.000 habitantes em três departamentos do país.
A Assembléia do Povo Guarani quer que a Transierra entregue US$ 9 milhões prometidos pela companhia para executar obras de desenvolvimento social durante os próximos 20 anos, de acordo com convênio assinado no ano passado e que não vem sendo cumprido.
Os guaranis ameaçam fechar a passagem de gás e bloquear a estrada Yacuiba-Santa Cruz, que liga a Bolívia ao norte da Argentina, se as autoridades e os executivos da Transierra não atenderem suas reivindicações.

Da Redacao