S. Paulo – Segundo analistas independentes ouvidos por Afropress, o Programa de Governo do candidato do PT, Fernando Haddad, é o mais completo e detalhado já proposto por um candidato à Prefeitura de S. Paulo e, em alguns aspectos, o mais avançado já elaborado pelo Partido em disputas municipais.
Em São Paulo, de acordo com estudo da Fundação Seade, com base no Censo do IBGE 2010, 60,6% dos habitantes se declararam brancos, 30,5% pardos, 6,5% pretos, 2,2% amarelos e 0,1% indígenas. No Estado de São Paulo, esses valores são, respectivamente, 63,9%, 29,1%, 5,5%, 1,4% e 0,1%.
Por sua vez, seu oponente, o candidato tucano José Serra, embora, quando governador tenha criado uma coordenação de políticas para as populações negra e indígena, ligada à Secretaria da Justiça, não registra uma linha sequer, nem traz qualquer proposta ou compromisso de superação da desigualdade racial no seu programa de Governo para a Prefeitura da capital.
Propostas
Entre outras propostas, Haddad define como diretrizes da promoção da igualdade racial na cidade de S. Paulo a adoção do princípio de não discriminação nas política sociais, o que significa diagnosticar, localizar, planejar e definir diretrizes e metas e implementação ações para eliminar fontes de criminação direta e indireta, bem como todas as formas de desigualdades, preconceito e racismo e assegura a transversalidade das políticas de promoção da igualdade racial, superação do racismo e melhor condição de vida para a população negra, no âmbito das secretarias e demais órgãos da administração pública na cidade de São Paulo.
Também se compromete em implementar e ampliar na esfera municipal as políticas, os programas e as ações afirmativas dirigida à população negra, adotadas nos oito anos de governo Lula e que continuam no Governo Dilma, capacitar gestores públicos através de programas educativos que, por sua natureza, possam garantir a aceitação e o cumprimento dessas políticas e modificar as disposições e práticas administrativas que sejam incompatíveis com as mesmas; garantir ações e programas específicos de políticas públicas que contribuam com o empoderamento da população negra no mercado de trabalho, bem como, investir no fortalecimento institucional das organizações do movimento negro paulistano, entre outras ações.

Da Redacao