Manaus – Entidades amazonenses comprometidas com a defesa dos direitos indígenas lançaram manifesto repudiando declarações do presidente da Assembléia Legislativa do Estado, deputado Belarmino Lins Albuquerque, do PMDB.
Tentando justificar a contratação de parentes como assessores no seu gabinete, o parlamentar disse, na última quarta-feira que “os Lins e Albuquerque são oriundos de portugueses e alemães e não de tribo indígena”.
Para a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab), as declarações do deputado são uma demonstração de “sua ignorância e preconceito, e representam um desrespeito ao povo amazonense, que não é descendente de alemães”.
O Conselho Indigenista Missionário (Cimi), também reagiu e acusou o deputado do PMDB de “evocar um argumento racista para expressar a condição de superioridade de sua família e sustentar a prática do nepotismo em seu gabinete”.

Da Redacao