Brasília – Termina hoje o Acampamento Terra Livre que começou na segunda-feira, dia 04 na Esplanada dos Ministérios e reúne nações indígenas de todo o país, sob a liderança da Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab).
Cerca de 500 lideranças indígenas participam da Marcha que tem como objetivo protestar contra o descaso na área da saúde e a não demarcação das reservas indígenas pelo Governo. Segundo o representante da Coiab em Brasília, Francisco Avelino Batista Pova Apurinã, a situação da saúde indígena “é precária já que não há um quadro de funcionários suficiente na Fundação Nacional do Índio (Funasa) para atender as aldeias”.
“Não recebemos tratamento adequado. A Funasa, como não tem pessoal suficiente, transfere os recursos da saúde para hospitais municipais e estaduais, que não têm equipes preparadas para permanecer nas aldeias”, afirmou, acrescentando que a solução está na criação de uma Secretaria Especial de Saúde Indígena. A Funasa rejeita a proposta e diz que há funcionários suficientes.
Avelino disse que a questão fundiária é também motivo de preocupação para as nações indígenas sobreviventes, que estão tendo suas terras invadidas. “Estão confundindo os direitos dos povos indígenas com os dos latifundiários. Nós temos o direito à nossa terra-mãe assegurado pela Constituição de 1988”, concluiu.

Da Redacao