Brasília – Um documento contendo o relato dos casos de perseguição às religiões de matriz africana no Brasil, foi entregue nesta sexta-feira (26/06), ao embaixador Martin I. Uhomoibai, presidente do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) durante um dos painéis da II Conferência Nacional.
“Não é da cultura brasileira desrespeitar religiões, mas gostaria que a ONU olhasse com carinho esse documento”, disse o subsecretário do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) Ivanir dos Santos.
Acusados presos
Estão presos no Rio dois acusados da prática de intolerância religiosa – o pastor Tupirani da Hora, líder da Igreja Geração Jesus Cristo e o fiel Afonso Henrique Lobato. Os dois são acusados pela invasão e depredação de um templo espírita em junho do ano passado.
A Justiça decretou a prisão temporária de ambos, com base no artigo 20 da Lei Caó (7.716/89), que pune os crimes de racismo. Após a depredação do templo, fiel gravou vídeo distribuído na Rede desafiando as autoridades e o Ministério Público.
O embaixador prometeu investigar as denúncias e lembrou que o Governo brasileiro é exemplo no mundo inteiro pelas ações de combate ao racismo e à discriminação.

Da Redacao