S. Paulo – O coordenador do Nupe da UNESP (Universidade Estadual Paulista), de Araraquara, professor Dagoberto Fonseca, reagiu com mau humor e irritação à pergunta de Afropress se já definiu o nome que ocupará o cargo de coordenador da Assessoria Afro, que trata de gênero e etnia na Secretaria da Cultura do Estado, em substituição à Maria Aparecida de Laia. “Podem continuar escrevendo merda…”, afirmou e desligou o telefone.
A irritação de Fonseca deveu-se ao fato de Afropress ter revelado as articulações de bastidores que ele passou a fazer depois que foi chamado pelo secretário João Saiad a indicar um nome para a Assessoria.
Cauteloso, ele escondeu essas articulações e que já havia indicado o nome ao secretário, até mesmo de Laia, que ficou sabendo que seria substituída pelo próprio Saiad. Nas últimas 48 horas, Fonseca, teria mudado de idéia, trocando a indicação de um dos seus alunos – Francisco Sandro da Silveira – por outro – Leandro Silva – para ocupar o cargo.
Lideranças do movimento negro que participaram da reunião do dia 12 de fevereiro com Saiad – e na qual Fonseca, em vários momentos se fez porta-voz do grupo que defendia a manutenção do trabalho da Assessoria Afro – não foram consultadas, e dizem, pedindo a omissão dos seus nomes, ignorar que qualquer dos dois tenha tido qualquer experiência na gestão de políticas públicas.

Da Redacao