Itapecerica/SP – Uma parceria entre as Secretarias de Educação e Cultura de Itapecerica e do Estado proporcionou aos educadores das redes públicas e particulares e agentes culturais de Itapecerica, cidade da região metropolitana de S. Paulo, participarem do curso “História das Culturas Africanas e Afro-descendentes”.
O curso teve o objetivo de capacitar professores e agentes culturais para a disseminação de novos conceitos a respeito da formação étnico-cultural da sociedade brasileira. Esse curso está dentro do cronograma de ações do Projeto “Negras Raízes”, lançado em maio, com o propósito de promover uma variedade de ações como debates, cursos, exposições, oficinas, apresentações artísticas, concurso de trabalhos escolares, feira cultural, fomentando a divulgação e a valorização da cultura afro-brasileira.
O projeto representa o início de um trabalho mais amplo de implementação de políticas afirmativas em prol da plena cidadania cultural da população negra do município.
“O Projeto “Negras Raízes”, desde o seu lançamento, vem resgatando a cultura afro-descendente de Itapecerica. Esse curso só vem a aprimorar e enriquecer os conhecimentos dessa cultura para educadores e agentes culturais de Itapecerica”, disse o prefeito Jorge Costa.
Segundo a secretária de Cultura, Roseli Rodrigues Pires, dentre outras ações do Projeto, está a proposta da reflexão e a desconstrução de idéias distorcidas a respeito da população negra no Brasil, encontrada inclusive em muitos livros didáticos. “Sendo assim precisamos preparar educadores e líderes, para que entendam os processos históricos da aculturação brasileira e possam criar novas gerações menos discriminadoras e mais orgulhosas de seu país”, enfatizou a secretária.
O curso foi ministrado pelos professores Bas Ilele Malomalo, Francisco Sandro da Silveira Vieira e Christian Fernando dos Santos Moura, pesquisadores do NUPE – Núcleo Negro da Unesp para Pesquisa e Extensão, ligado à UNESP.
De acordo com a secretária de Cultura, o foco principal do curso foi a Introdução à cultura africana – lendas das origens, povos bantus e sudaneses, religiões, ritos, organização
social; História Africana – aspectos da África Pré-Colonial e Colonial Africana Contemporânea; Conceitos sobre raça, racismo, preconceito, discriminação, eurocentrismo, etnocentrismo, xenofobia, negro afro-descendente e afro-brasileiro; História e Cultura Afro-Brasileira – Escravidão, Abolição e Movimento Negro; Ações Afirmativas na Educação – Currículo e Educação Multicultural; Literatura Infanto-juvenil e discussão sobre projetos educacionais.
“Cerca de 50 pessoas já se formaram nos dois primeiros cursos ministrados no primeiro semestre. Pretendemos fazer mais 2 no segundo semestre”, afirmou a secretária.

Da Redacao