Vitória – Em pleno ano considerado pelo Governo Federal como de “promoção da igualdade racial”, um jornal de Vitória, no EspíritoSanto, publicou com destaque matéria assinada pelos jornalistas Alcione Coutinho, Nuno Moraes e Fabrício Marvila, chamando a população negra de vilã e afirmando o estereótipo que associa os negros a criminosos.
A matéria do Jornal “Notícia Agora”, que tem como título “Casa da periferia ganha valor para criminosos”, publicada no caderno de Polícia, edição de terça-feira, 06 de setembro, destaca em resposta a pergunta “quem são os vilões”: homens de 19 a 30 anos, negros, agem à noite ou durante a madrugada, buscam objetos de fácil comercialização e são usuários de drogas”.
Os jornalistas, não revelam qual a fonte da afirmação, o que segundo Mozart José Serafim, do Fórum de Entidades Negras do Espírito Santo, coloca sob suspeita todos os homens negros com a referida faixa etária que estiveram circulando na rua à noite ou de madrugada sob o estigma de ladrões e usuários de drogas”. “Mesmo após dezenas de telefonemas de protesto, o jornal não publicou nenhuma retratação à população negra covardemente ofendida com a referida nota”, explica Serafim.
Diante disso, entidades do Movimento Negro, o Movimento de Direitos Humanos e a Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa e da Câmara Federal vão ingressar esta semana com representação criminal no Ministério Público do Estado, com base na Constituição Federal e nas Leis 5.250/67 – Lei de Imprensa – e 9.459/97, que define os crimes por preconceito de raça ou de cor, contra os três jornalistas e o editor do jornal “Agora Notícia”.

Da Redacao