Rio – A Comissão dos Jornalistas pela Igualdade Racial do Sindicato dos Jornalistas do Rio (Cojira), encaminhou e-mails ao Ministério Público de Brasília, ao Ministério Público Federal e a Delegacia de Crimes Raciais, em S. Paulo, protestando pelas interferências de bandos nazi-racistas nas conexões e no acesso à Afropress.
No e-mail enviado ao promotor Marcos Antonio Julião, do MP de Brasília, a Cojira-Rio pede Justiça e celeridade no processo, em que é réu o estudante da UnB, Marcelo Valle Silveira Mello, o primeiro caso de acusado de racismo na Internet processado pela Justiça de Brasília.
“O réu Marcelo Valle Silveira Mello não é um pobre e irresponsável jovenzinho da classe média que teve atitudes irrefletidas.
É sim um homem tão capaz e cônscio de suas faculdades mentais que conquistou boa colocação no vestibular para a UnB. Ele detêm conhecimentos de informática que um reles delinquente – sem formação e sem qualificações mentais – não poderia jamais atuar com tanta segurança no universo virtual destruindo o trabalho e a luta pelo direito à Comunicação de profissionais responsáveis”, acrescenta Sandra Martins, da Coordenação do Cojira
Também foram encaminhados e-mails ao promotor Sérgio Suiama, do Ministério Público Federal, em S. Paulo, e à Delegada Margarette Barreto, pedindo, que os inquéritos já abertos apresentem resultados e os culpados pelas ameaças aos jornalistas da Afropress sejam punidos.

Da Redacao