Atlanta/EUA – A Conferência “Call to action” promovida pelos Governos americano e brasileiro como parte do Plano de Ação Conjunta para superação da discriminação e promoção da igualdade, foi acompanhada diretamente por um grupo de 11 jornalistas brasileiros – dentre os quais o editor de Afropress, Dojival Vieira – e por Mabel Lara, da TV Caracol, a única apresentadora negra da Colômbia.
O grupo formado por jornalistas de S. Paulo, Bahia, Pernambuco e Brasília, chegou domingo (16/05) a Washington, à convite do Foreing Press Center, do Departamento de Estado americano, ficando hospedado no Hotel Carlyle Suite, na Hampshere Avenue.
Entre os jornalistas estavam Maurício Pestana, editor da Revista Raça, Clediana Ramos, do jornal A Tarde, de Salvador, Fabiana Morais, do Jornal do Comércio, Mônica Aparecida e Francisca Rodrigues, da AfroNews, ligada a ONG Afrobras, mantenedora da Faculdade Zumbi dos Palmares, e Ulisses Netto e Demétrio Weber, respectivamente, da Rádio JovemPan, de S. Paulo, e do jornal O Globo.

De segunda a sexta, quando embarcaram de volta ao Brasil, cumpriram uma extensa agenda sob o comando de Patrícia Neary, do Foreign Press Center, que incluiu visitas ao Hospital da Universidade John Hopkins e a Associação para o Avanço das Pessoas de Cor (NAACP) em Baltimore – cidade a cerca de duas horas da capital americana.
Neary cuidou de todos os detalhes da programação e foi elogiada pelo grupo pelo senso de dedicação e profissionalismo. Na quarta-feira (19/05), juntou-se à delegação o próprio coordenador do Foreign Press Center, Neil Klopfenstein, que já serviu no Brasil como diplomata.
Visitas
Em Washington, os jornalistas visitaram o Departamento de Estado, o Museu de Arte e Cultura Afro-americana, da Fundação Smithosonian, a Casa Branca e o Memorial Lincoln, bem como o Memorial aos soldados americanos mortos no Vietnã, no The Mall – o grande parque público, no qual, em 1.963, reuniram-se milhares de pessoas para ouvir o líder Martin Luther King pregar o “I have a dream”, que comove o mundo até hoje.
Os jornalistas foram permanentemente acompanhados por Paul Hinshaw, do staff de Neary, e por dois tradutores que prestam serviços ao Foreing Press Center – Alberto Abreu e Lauro Barros – dois brasileiros que vivem há muitos anos nos EUA.
Abreu, um carioca que foi para os EUA com dois anos, e Barros, capixaba há 32 anos vivendo naquele país, além de mostrarem-se profissionais competentes desenvolveram com os jornalistas uma relação de profissionalismo e amizade, o que facilitou o conhecimento de aspectos da cultura americana e de como se dão as relações raciais até então desconhecidos.
“Neil Klopfenstein, Patrícia Neary, Paul, Lauro e Alberto, além de profissionais dedicadíssimos, são pessoas que nos cativaram com sua amizade. Cada detalhe foi observado, desde a hora que saíamos dos hotéis em que nos hospedamos ao cumprimento nos horários de uma extensa agenda que durante essa semana fez com que, nós jornalistas brasileiros, conhecêssemos a realidade americana. Somos imensamente gratos”, afirmou o editor de Afropress, jornalista Dojival Vieira.
Ele também destacou o trabalho da equipe da SEPPIR, liderada pelo ministro Elói Ferreira e pelo secretário de Ações Afirmativas, Martvs Chagas, e dos ativistas e lideranças negras que contribuíram para que a sociedade civil brasileira marcasse presença ativa.
O grupo, que ficou hospedado no Hyatt, a famosa rede de hotéis norte-americana, conheceu a história e as instalações do Spelman College, instituição batista fundada no final do século XIX para mulheres negras, e terminou a programação com uma visita a sede mundial da Rede CNN, que fica em Atlanta.
 

Da Redacao