Berlim – O árbitro alemão Michael Weiner paralisou a partida entre as equipes do Borússia Montchengladbach e o Aachen, vencida por esta última, no último sábado, e fez uso dos alto-falantes do estádio para prevenir os torcedores presentes, que se ouvisse algum novo insulto racista, encerraria o jogo.
A atitude elogiada por Volker Roth, responsável pela arbitragem na Alemanha, aconteceu depois que o atacante brasileiro Kahê (ex-Ponte Preta e ex-Palmeiras), agora no Borússia, artilheiro do campeonato com três gols, passou a ser alvo de cânticos racistas por parte da torcida do Aachen.
Na semana passada, o atacante Asamoah, que também é negro, foi alvo de manifestações racistas em jogo da Copa da Alemanha. Asamoah, um africano naturalizado alemão, foi o primeiro negro a defender a seleção alemã.
Segundo o responsável pelas arbitragens, os incidentes com Asamoah, contribuíram para a ocorrência de novas hostilidades com Kahê. “Os torcedores, e não só os árbitros, precisam tomar uma atitude para que um grupo de pessoas não tenha esse comportamento (racista), afirmou.
As hostilidades racistas contra o jogador brasileiro, que quando jogou no Palmeiras ficou conhecido como Shrek, pela suposta semelhança física com o personagem do desenho animado, teve grande destaque na imprensa alemã.

Da Redacao