Pirassununga/SP – A advogada Deandréia Gava Huber foi condenada pela Justiça do Trabalho ao pagamento de R$ 30 mil de indenização por ter feito comentário racista em relação a uma ex-funcionária terceirizada da Caixa Econômica Federal, em Pirassununga, cidade a 211 Km de S. Paulo.
A vítima, cujo nome, não foi revelado, disse que trabalhava como responsável pela distribuição de senhas em uma agência da Caixa, na cidade, quando a advogada tentou furar a fila. Diante da recusa da vítima, a funcionária ouviu “em alto e bom som, na presença do público a frase: “nunca vi preto mandar”.
Segundo a vítima a advogada reclamou com a gerente do banco, que a demitiu, solidarizando-se com a cliente, que teria quantias elevadas depositadas no banco. A advogada nega.

Da Redacao