Brasília – O jornalista Paulo Henrique Amorim, âncora do Jornal da Record foi condenado a pena de 1 ano e oito meses de prisão pela Terceira Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal pelo crime de injúria racial contra o jornalista Heraldo Pereira, da TV Globo. A pena foi substituída por restrição de direitos, mas a defesa de PHA anunciou que recorrerá da decisão.

No seu site “Conversa Afiada”, que é patrocinado pela Caixa Econômica Federal, PHA se referiu a Heraldo Pereira como “negro de alma branca” e que não havia conseguido revelar nada além de ser “negro e de origem humilde”.  Na primeira instância a Justiça do DF, havia negado seguimento a ação, porém, o Ministério Público recorreu.

Na decisão, o Tribunal de Justiça confirma que houve crime de injúria racial e que a divulgação da frase no site contribuiu para aumentar o dano a Pereira. “Se o réu divulga artigo que se restringe a criticar a vítima, sem qualquer dado concreto, referindo-se a esta como sendo pessoa que não conseguiu revelar nada além de ser 'negro e de origem humilde' e utilizando expressões como 'negro de alma branca' resta caracterizado o crime de injúria preconceituosa", diz a decisão.

Na ação no cível, movida pelo próprio Heraldo Pereira, PHA fez acordo no qual se comprometeu a publicar uma retratação e doar R$ 30 mil a uma instituição de caridade. Ainda no cível, a defesa do jornalista da Globo pediu a Justiça o pagamento de uma multa de R$ 200 mil porque a retratação foi feita fora do prazo estipulado no acordo.

Da Redacao